terça-feira, 9 de janeiro de 2007

Quando se olha muito para o abismo.....



Ao som de: Lenine - Paciência

Todos os meus talismãs foram substituídos por um simples anel. Todas as minhas mesquinharias fora substituídas pela pessoa que mais importa. Como eu disse antes, não é um objetivo e sim um caminho. Não adianta nada eu dizer que sei que tudo vai dar certo no final enquanto me desespero na busca pelo que não posso alcançar (-não imediatamente-)

E as palavras são boas comigo por que eu fui bom com elas. O jardim era bom comigo quando eu era bom com ele. Pena que as notas musicais ainda não sejam, não estudei o suficiente ainda. Tenho que mudar isso se quiser passar na porra do vestibular.

Devagar eu quero ajeitar as coisas. Talvez eu não tenha me dado conta de tanta coisa que ainda vai acontecer essa semana, e esse mês, e esse ano. Quando as coisas estão pra acontecer o universo inteiro começa a se movimentar, e quando eu sinto esse movimento eu ajo no impulso e no improviso. Sei bem que teria que pensar antes de agir e que esse pensar mudaria tudo, mas cada dia é único, e eu estou fazendo tudo que posso para aproveitar cada segundo. Talvez essa intensidade me consuma enquanto eu for querendo sempre mais, mas é assim que eu sei viver. Estou vulnerável, mas não estou fraco, são coisas diferentes. E tem mais, se eu ficar esperando o momento ideal, nunca sairei do lugar.

E sempre sofri por saber que minhas palavras e minhas ações não eram condizentes. O que eu falava e o que eu fazia eram coisas completamente diferentes. Cansei disso: quero ser autêntico. Sinto nojo de mim mesmo por causa das mentiras que eu contava para mim mesmo, da maneira errada que eu me colocava como vítima diante das pessoas, meu lado interesseiro. Agora olho para tudo isso como uma roupa que não me serve mais. Não sinto arrependimento, essa não é a palavra. É preciso coragem para se considerar o lado mau o lado melhor. Sinto apenas a ordem de mudança que vem com a virada da maré. Da mesma maneira que um anel é melhor do que todas as outras bugigangas juntas, estar com uma pessoa só é bem melhor do que tentar estar com várias. Falando como geminiano com ascendente em gêmeos, isso não era tão óbvio para mim quanto seria para uma pessoa normal.

De repente a questão de estar ou não estar com quem amo não é mais tão crucial. Existem dois tipos de pessoas: aquelas que têm um grande amor e aquelas que sentem a falta desse amor. Tantas vezes já cambiei de lado nessa vida, uma a mais ou a menos não vai me matar. Quem tem o amor pode ser corrompido pelo medo de perdê-lo e isso pode ser mais nocivo do que a ausência em si. Não sei se estou pronto, fiquei tanto tempo fechado. Lutei demais com monstros, acabei me tornando um deles. O Yoda que está certo; “o medo atalho para o lado escuro é”. Eu sei que estou soando repetitivo, mas estou com medo. Medo de conquistar mais uma vez apenas para descobrir que não sei o que fazer com o que conquistei. Então eu vou chegando cada vez mais perto, um passo de cada vez, e quando eu estiver realmente dentro, eu serei tão bom quanto posso ser.

Um comentário:

  1. simplesmente perfeito...não é só vc q se sente assim, pode ter certeza!
    mas enfim, "temos 2007 inteiro" :)
    beijos

    ResponderExcluir