terça-feira, 16 de janeiro de 2007

As ondas não param

Ao som de Stone Sour: Cardiff (cantando junto aos berros)


___Meu sistema respiratório entregou os pontos, a cada tosse eu sinto como se espetassem agulhas nos meus pulmões. E meu coração desistiu de bater, ele só apanha. Ainda assim, até uma surra pode ter o seu valor. Não quero mais colo, não resolveria nada.


___De onde menos se espera surge a frase que complementa todas as outras lições. Diz o mestre: “eu desejo a você a felicidade que jamais desejei a alguém, mas uma felicidade sincera e realmente sentida. não fantasiosa”. Sei bem que o que se faz de coração não precisa de agradecimento, mas de coração eu agradeço tudo que foi feito por mim. Certamente fui um péssimo discípulo. Agora eu sei voar sem ter nenhum ponto de apoio. E sei que você vai torcer para eu voar sempre. Isso soa como um Adeus, mas as músicas do Tool serão sempre as músicas do Tool. E a chuva...


___Continuo sem vontade de escrever. As palavras sem amor podem ser sinceras, mas insistem em não ter sentido nenhum. Mas mesmo sem vontade, mesmo sem ter o que dizer. Eu insisto em tentar conversar. As ondas não param.


___As horas passam devagar e eu odeio isso.

5 comentários:

  1. gato de chechire16/1/07 20:48

    Hj, um publicitário fodão, me disse: "meu reino é o agora, no meu reino tudo faz sentido..."

    ResponderExcluir
  2. Você tem razão, mas não é fácil enxergar sentido sempre...

    ResponderExcluir
  3. As palavras sem amor podem ser sinceras, mas insistem em não ter sentido nenhum.

    it´s true...

    ResponderExcluir
  4. Você é digno da felicidade plena e a terá. Eu agradeço o titulo que me deste, mas o dispenso. Foste um ótimo aprendiz. E espero que continue sempre a crescer.
    Sempre. É pra sempre.

    ResponderExcluir
  5. e as horas passam devagar nas terças-feira.

    ResponderExcluir