sábado, 30 de agosto de 2008

Suspeitei desde o princípio

Sobre a noite da tequila, 3 comentários:

1. Foi uma noite sem erros, considerando que a propria noite foi o erro.

2. Nenhuma gota

3. Nenhuma gota.


Cheguei em casa bem na hora de assitir Chapolin. E cantarolando Nessum Dorma.

Um dia lindo...

E agora.?? Quem poderá me defender.??

quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Do meu jardim...

Ao som de: Gene Kelly - Singing in the rain

_____É claro que eu ia sofrer com o castelo que construí. Todo aquele que constrói vira refém de suas próprias paredes, ou da necessidade da travessia. Por isso sou jardineiro. De cada uma das minhas flores aprendi alguma coisa. O mau tempo que castigou as minhas flores também escondeu minhas lágrimas ou me fez companhia nas noites de solidão. E no dia seguinte a quantidade de trabalho sempre me fez esquecer as coisas pequenas que machucaram. O amanhecer traz esperança e aqueles que ficam dormindo ou que se trancam entre 4 paredes não enxergam isso.


Jasmim: guardo um desejo no freezer e ainda tenho teu endereço para escrever uma carta. Uma ilha de sotaque portoalegrense que vive no paraíso. As vezes vai, as vezes volta, mas continua sendo um dos poucos "e se" que me sobraram. Foi dela que veio a clave de sol com asas, assim como uma série de lições de paciência.


Bromélia: já foi um hibisco, já foi uma tulipa, mas tem a essência de uma rosa. Com todos os espinhos que ostenta orgulhosamente para se defender sabe-se lá Deus do que. Teria dado minha vida para cuidar melhor dela, mas isso foi antes de entender que ela sempre soube se cuidar sozinha. Errei na poda e ela nunca me perdoou por isso. Já a coloquei no lugar mais iluminado do meu jardim, já a coloquei no meio das sobras. Em nunhum dos lugares ela se mostrou satisfeita. Ainda me pergunto onde ela quer ficar, já que ela mesma parece não saber.

Margarida. A saudade aperta com tristeza. Nos devemos um café. Com um sorriso leve. E com os vários discursos inseridos dentro da linguagem. E vai ser prá sempre minha idiota favorita.





Violeta: dessa eu tive duas. Uma que tem cheiro de praia. com lembranças das noites de dodje morro abaixo. Eu respeito a inocência. Sempre vou lembrardo jeito inocente dela para gerenciar as coisas. A outra queria por que queria ir prá fora no meio do inverno. Ficou toda queimada da geada. Mas ainda assim continuou insistindo enquando eu cuidava dela. E muitas vezes ela me viu nos fins de tarde tomando chimarrão.


Girassol: o Cláudio sempre me causou uma certa estranheza. Nas madrugadas em que ele ficava virado para o céu como se fosse meio dia eu olhava para o céu tentando entender o que estava acontecendo. Uma flor obviamente entende mais de estrelas do que eu. As vezes ele queria saber da lua, as vezes das estrelas, as vezes do chão. Parecia o dono, definitivamente.


_____E, no final das contas, a personalidade não passa de um brinquedo que nos dão. E ficamos grudados nesse maldito brinquedo durante toda a vida.

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Ressaca premeditada

Ou: Precisa-se de Prumo

ao som de: Guns - Civil War


Das aulas de español eu aprendo mais do que deveria. E encontro definição: "Valora mucho la valentia y no soporta a los débiles. No se apasiona fácilmente de nada, pero cuando lo hace pone un empeño y una perseverancia que pocos son capaces de tener.
Es en general una persona bondalosa, llena de nobles sentimientos. Posee mucha seguridad en si mismo, además de un excelente sentido de adaptación. Es dueño de una gran capacidad de reflexión, sensatez y sentido común.
Es inteligente, pero muy poco flexible, supone que cambiar los proprios puntos de vista denota falta de personalidad. Cree que defender un punto de vista a cualquier precio es ser coherente consigo mismo.
Se dedica plenamente a su tarea y la hace con una resistencia dificil de superar. Pero después del trabajo, por su necesidad de recuperación, no aceptará ningún tipo de ofrecimiento que no sea quedarse en casa y descansar. Las aparentes indecisiones no son más que pereza."


_____Eu assisto Mad Max sozinho. Falta alguma coisa. Eu estupidamente sinto saudade. Añoranza que me duele. Mas eu sou pequeno demais para me meter na vida das pessoas grandes. Tanto que tive um pesadelo com formigas essa manhã.

_____Ah, a explicação do kamikaze é tão óbvia quanto. Eu escolhi dizer a verdade. E nada pode ser tão suicida quanto não mentir.

_____E, numa terça-feira, bebi tudo que pude, na proposta de beber por algum motivo. Olhando de longe eu vi bem meu motivo me sorrindo. Faltou a tequila. Faltou tanta coisa. E me privam do castelo que eu construí.

terça-feira, 26 de agosto de 2008

Sonhos pra sonhar dormindo.


ao som de: Stevie Nicks- Landslide



_____Há uma grande verdade que eu tentei evitar por um tempo, mas eu ando esbarrando nela com uma frequência irritante. Os mesmos sinais que eu tanto venerei e que depois passei a tentar ignorar continuam fazendo o que têm que fazer.

_____A D. Morte é uma companhia curiosa nessas madrugadas solitárias. Sim, eu já pensei várias vezes, mas seria fácil demais. O problema é buscar frieza e tentar ser quente ao mesmo tempo. É dormir tarde e acordar cedo de forma inconsequente. É tentar amar com a cabeça e pensar com o coração. É tentar olhar de olhos abertos. Buscar fora o que está e sempre esteve dentro.

_____É falar e falar achando que estou falando para os outros, mas no fundo são palavras para meus próprios ouvidos.

_____Ser auto-suficiente quase nunca é ruim, mas nem sempre é bom. No final, isso não importa nada. O conceito de auto-suficiência é uma mentira. O chimarrão desce quente. A idéia de frieza repousa na única dívida que ainda mantenho: uma garrafa de tequila pra ser bebida num cordão de calçada.

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Pelo menos eu sei onde o sentido está



ao som de: Tool (pra lembrar do que sou feito)

_____Sobre um sonho: Era uma praia, parecia ser inverno.. vc estava com uma calça, uma blusa e um jaqueta. A gente estava numa arquibancada de tábuas. Tivemos que escolher o lugar porque alguns lugares estavam úmidos de chuva. Sentamos bem em cima. Havi um sol fraco, bem de inverno. Não sei porque, mas a gente saiu dali. Acabamos num banco, podia ser uma parade de ônibus. Tinha um zafari ali perto e do outro lado da rua do banco havia um mercadinho.

_____Estávamos conversando. Eu te pedi para fechar os olhos. Tu sorriu e me deu um beijo. E a gente se beijou por um tempo. Prá mim esse tempo foi infinito. Quando abri os olhos e te vi estava com a mesma sensação de "é bom demais para ser verdade" daquela terça feira num novembro qualquer.. E quando acordei fiquei pensando por que que tinha que ser apenas um sonho.

_____O fígado me mandou um memorando pedindo férias. No momento não posso fazer nada, meu coração já está de férias e naõ posso manter as coisas funcionando sem os dois. Assim que o coração voltar, o fígado sai de férias.

_____E de repente tudo fez sentido. É sempre fácil achar um motivo para me demitir de uma banda, mas havia outra demissão que não fazia sentido. Agora ela é tão óbvia que chega a ser ridícula. O Cachorrão que tá certo: a verdade sempre aparece.

_____Numa evidente evolução em termos de quem é irmão e quem não é, uma conversa domingo de noite acalmou muito da minha inquietação. E ela demorou 5 minutos para me xingar. Demorou até, achei que ia ser instantaneamente. E conseguimos ser expulsos de uma locadora.

O nome dele é Victor Garber

terça-feira, 19 de agosto de 2008

Pelo abismo que existe e sua consciência.



_____
Na rave do inferno de sábado, quase no final, a Ana perguntou o que era difícil de fazer. Eu disse que olhar para uma partitura e sair tocando é difícil. Disse que uma banda ter dinâmica é difícil. Disse que é difícil ser humilde, o ego é sempre um problema. Falei sobre mais alguns percalços da vida de quem está disposto a estudar e aprender música. E falei dos surdos.

Pra resumir tudo, isso é difícil:



Jaco Pastorius - Portrait of Tracy (com algumas fanfarronices a mais)

segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Mesmo sem soltar a flecha, ainda é possível respirar.



_____
O fato é que não há muito para ser escrito aqui. Vejo muita coisa errada, mas me propus a não disciplinar ninguém além de mim mesmo. No último final de semana aprendi que a técnica de um músico é inversamente proporcional a sua arrogância.

_____Organizei um cronograma de estudo interessante e suficientemente chato para me manter ocupado por 5 horas por dia. E de noite jogo meus joguinhos e fico assistindo as olimpíadas torcendo por um país esdrúxulo qualquer. Não consigo ler a quantidade de livros que gostaria, mas nada é perfeito. E eu tenho uma coisa muito parecida com uma rotina. Nunca pensei que ia dizer isso, mas acordar cedo para tocar e tocar tomando chimarrão é muito bom. E, finalmente, reconhecimento não faz diferença nenhuma. Eu vejo o negocinho do pêndulo do metrônomo cada vez mais baixo e isso sim é relevante.

_____E meu diário continua bombando enquanto destruo minhas unhas. Nos dedos que não uso para tocar eu coloco esparadrapo. Infelizmente isso se resume a apenas 3 dedos.

_____A vontade de chorar que vem do nada deve ser normal. Pensar é perigoso, como me disseram. Falando nisso: 2 ouvidos e uma boca. Uma proporção genial.

_____De alguéns eu sinto falta. É o preço que se paga. Mas se até uma pessoa irritante e burra como uma porta sabe que não se pode ter tudo, eu vou acabar lidando com isso numa boa, mesmo tendo razões muito fortes para discordar.

_____E eu falei da flecha. Olhei para o céu e sabia que naquele lugar, por trás das núvens e da chuva que me molhava, devia estar a constelação de sagitário. Lembrei dos centauros. Lembrei de Quíron, o mais sábio deles. O fato dele poder curar a todos, mesmo sem conseguir curar as próprias feridas. O campeonato de ironias segue forte. E Zeus me chicoteia.

sexta-feira, 15 de agosto de 2008

É assim que brinca.



lembrando ao som de: Astor Piazzolla - Libertango



_____Eu tenho tido sonhos estranhos. Reais demais. Às vezes fico me perguntando se aconteceu de verdade ou se eu sonhei.

_____Eu tenho tido realidades estranhas. Às vezes não é fácil acreditar que realmente aconteceu..

_____Não sei como, foi tudo muito rápido. Depois de Highway to Hell com o Juninho e de uma dose de bacardi, eu estava numa jam session com o Rafa Schuler e com o Leo Ferrarini. Durante o acdc eu não pensei em nada. E depois, com os caras fodas, entre um sorriso e outro, eu comecei a entender porque estudo tanto. Foi tudo muito mais fácil, mas mesmo assim a gente continua se dizendo as notas durante os solos.

_____E não que eu merecesse, mas a recompensa veio no final da noite, com o dia quase amanhecendo. O Mono me surpreendeu de novo. E eu cheguei em casa sorrindo. E dormi com o meu baixo do meu lado na minha cama.

_____E "não há quem pinte o retrato de um bochincho quando estoura..."

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

É fácil apagar as pegadas; difícil é caminhar sem pisar o chão

Escrevendo ao som de: Mauro Caldart - "Quinta quase pronta"


Cheiro de vela. De água. De pedra gelada.


- É estranho te ver assim
- Tá falando do meu corpo encharcado ou da minha alma inquieta.?
- Do corpo, eu sou um simples padre, não vejo almas.
- Ninguém falou em ver. Com os olhos, pelo menos. A chuva é minha, por mais que não pareça. Ela me faz bem. Ela me lembra uma promessa que eu fiz pro mar.
- Eu não acredito que tu consiga fazer chover.
- Isso sim é estranho. O senhor acredita que aquele cara naquela cruz morreu e ressucitou depois de 3 dias e não consegue acreditar que alguém faça chover.
- Isso é um dogma.
- Prá mim isso é um migué. Mas não vamos discutir isso. Trabalhamos para o mesmo chefe. E eu vim aqui atrás de algumas respostas.
- Quer ficar sozinho.?
- Não, preciso da tua sinceridade. Se tu tivesse que me resumir em uma palavra. que palavra seria.?
- Busca.
- Tu és a pessoa mais próxima de um confessor que eu tenho, sendo assim, acho que tenho a liberdade de perguntar por que.??
- Eu te vi menino andando de motoca ali fora. Eu passei mercúrio nos teus joelhos quando você rolou pela escada de bicicleta. Depois vi incontáveis tombos de skate antes de você ficar sentado nos degraus ali da frente pensando em sei lá o que. Lembro de ti me fazendo perguntas todo topetudo antes da tua crisma. Um dia eu te vi deitado no chão de mármore olhando pro teto e eu finalmente entendi que tu estava procurando alguma coisa. E agora te vejo aqui, molhando o banco da minha igreja. Eu vejo, ou melhor eu sinto que tu ainda é aquele mesmo menino topetudo, e que mesmo que o mundo tenha baixado a tua crista a base de pauladas, tu continua procurando a mesma coisa, tu continua acreditando. Tu não ficou com medo por causa dos tombos. Eu vi aquela tua curiosidade em muitas crianças que passam por aqui, mas eles cresceram e esqueceram daquilo que tinha tanto significado.
- Eu nem sempre acredito, mas nunca esqueço da minha busca.
- Elias.??
- Sempre.
- Preciso ir. A missa vai começar daqui a pouco. Fica aí.
- Deixa que eu rezo ela. Ainda lembro. Eu prometo não abusar do vinho nem chamar nenhum santo de "meu bruxo"
- Respeite as regras da casa. Posso perguntar uma coisa.?
- Claro. Mas já adianto. Eu vim perguntar como ir para o caminho certo depois de mais de 10000 dias andando sem rumo, mas agora isso não tem mais importância.
- Não era isso que eu queria saber. Eu só ia perguntar como é que se faz chover.
- A tua resposta e a minha estão no mesmo lugar.

E sai o Vento da Igreja, cantarolando o hino do Politheama... embaixo do mesmo céu de sempre. Não chovia mais.

segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Estilo.

Comecei a tarde com o Gardel. Depois fui pro Roupa Nova. Bordão afinado em D me surpreendeu. Harmonia de vencedores. Acabei no Foo Fighters. Cantarolando o refrão sem parar...




"I'm the voice inside your head
You refuse to hear
I'm the face that you have to face
Mirrored in your stare
I'm what's left, I'm what's right
I'm the enemy
I'm the hand that will take you down
Bring you to your knees

So who are you?
Yeah, who are you?

What if I say I'm not like the others?
What if I say I'm not just another one of your plays
You're the pretender
What if I say I will never surrender?"

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

terça-feira, 5 de agosto de 2008

"Um milésimo do que tu merece", ele disse.



Ao som de: Carlos Gardel - Mano a mano

_____E em uma madrugada na qual o caminho foi feito a cada passo, um vinho chileno foi tomado devagar, entre uma resenha e outra.

_____Decidimos criar uma lenda. Decidimos sobre suspensórios. Decidimos quem é quem e quem faz o que. Um capitão , um músico e um embusteiro. Uma banda de tango onde ninguém vai se levar a sério. Ensaio semana que vem.


Cafajestango

Faxina

Ao som de: Jayme Caetano Braun - Bochincho

Já que o Vento se queda em fuga e eu fiquei encarregado de tomar conta de tudo. Acabei abrindo uma caixa cheia de pó e encontrei muitas coisas curiosas dentro. Cito algumas.

O número 111 escrito num papel, com o último número circulado em vermelho
A foto de um unicórnio com uma série de recomendações confusas no verso. E uma anotação sobre um secador de cabelo e uma suíte branca.
Um colocar de óculos com uma legenda "olhar para conseguir qualquer coisa"
Um jeito de puxar meu queixo prá baixo e infalivelmente me fazer rir.
O rótulo de uma cerveja molhado de chuva com uma data escrita em español: Martes, 14/11/07
Uma foto azul.
Uma bússola
Uma foto com uam mulher fantasiada de Sininho.
Uma carteira de marlboro light com uma poesia pela metade.
Um texto sobre traição.
Um espelho pequeno com uma lua do lado onde se lê: "você sabe o que fazer"
O desenho de uma chave e de uma estrela
Uma missa com uma certeza de que pensavam em mim.
Pétalas que eu guardei embaixo do tapete da casa do Único Acima
Uma música que diz "I know someday you'll have a beautiful life/ I know you'll be the sun / In somebody else's sky, but why, why, why / Can't it be, can't it be mine
Uma história em quadrinhos do louco
Um foto do cebolinha e da mônica


Eu me pergunto o quanto cada um desses ítens ainda é importante e quais deles vou jogar fora. Pergunto com base em quais deles eu contruí meu castelo. Pergunto o que vou ter que sacrificar pela necessidade de espaço. E pela idéia de seguir em frente. Do jeito que for.

O hibisco e a xícara de chá

Ao som de: Gotan Project


O hibisco mais comum nos jardins brasileiros é o Hibiscus rosa-sinensis. Trata-se de um arbusto perene originário da China, que produz flores grandes, em cores que vão do branco ao vermelho, passando pelo rosa, amarelo e laranja. Suas flores têm vida curta: as formas simples duram pouco mais de 24 horas e as formas dobradas podem resistir cerca de dois dias.
O hibisco floresce o ano todo e gosta de locais quentes e úmidos. Suporta bem terrenos arenosos e dão ótimos resultados em regiões próximas à praias. A espécie é, ainda, muito utilizada como cerca-viva, pois apresenta um desenvolvimento rápido. Se durante o seu crescimento forem realizadas podas que eliminem as bifurcações do tronco, a planta pode assumir uma graciosa forma de arvoreta.
Os cuidados são poucos: os hibiscos precisam de bastante água no verão, devendo receber duas regas diária - uma pela manhã e outra no final da tarde. Durante os meses frios basta uma rega diária. Manter planta adubada intensifica a floração e ajuda a fortalecê-la contra o ataque de pragas.
Ah! Mais um detalhe: os hibiscos detestam invernos rigorosos e sofrem muito em locais sujeitos às geadas.


Uma história zen:

Joshu, um mestre zen, perguntou a um novo monge do mosteiro: "Já o vi antes?"

O novo monge respondeu: "Não, senhor."

Joshu disse: "Tome uma xícara de chá."

Joshu então, voltou-se para outro monge: "Já o vi por aqui antes?"

O segundo monge respondeu: "Sim, senhor, é claro que sim."

Joshu disse: "Então tome uma xícara de chá."

Mais tarde, o monge administrador do mosteiro perguntou a Joshu: "Como é que o senhor faz a mesma oferta de chá para qualquer resposta.?"

Diante disso, Joshu gritou: "Administrador, o senhor ainda está aqui.?"

O administrador respondeu: "É claro, mestre."

Joshu disse: "Então, tome uma xícara de chá"


______A história é simples, mas difícil de ser entendida. É sempre assim. Quanto mais simples a coisa, mais difícil de ser entendida. É uma história para ser sentida e não para ser entendida.

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

O catavento e o girassol

Uma música que me achou...


"Meu catavento tem dentro o que há do lado de fora do teu girassol
Entre o escancaro e o contido, eu te pedi sustenido e você riu bemol
Você só pensa no espaço, eu exigi duração
Eu sou um gato de subúrbio, você é litorânea

Quando eu respeito os sinais vejo você de patins vindo na contramão
Mas quando ataco de macho, você se faz de capacho e não quer confusão
Nenhum dos dois se entrega, nós não ouvimos conselho
Eu sou você que se vai no sumidouro do espelho

Eu sou do Engenho de Dentro e você vive no vento do Arpoador
Eu tenho um jeito arredio e você é expansiva, o inseto e a flor
Um torce pra Mia Farrow, o outro é Woody Allen
Quando assovio uma seresta você dança havaiana

Eu vou de tênis e jeans, encontro você demais, scarpin, soiré
Quando o pau quebra na esquina, cê ataca de fina e me ofende em inglês
É fuck you, bate bronha e ninguém mete o bedelho
Você sou eu que me vou no sumidouro do espelho

A paz é feita num motel de alma lavada e passada
Pra descobrir logo depois que não serviu pra nada
Nos dias de carnaval aumentam os desenganos
Você vai pra Parati e eu pro Cacique de Ramos

Meu catavento tem dentro o vento escancarado do Arpoador
Teu girassol tem de fora o escondido do Engenho de Dentro da flor
Eu sinto muita saudade, você é contemporânea
Eu penso em tudo quanto faço, você é tão espontânea

Sei que um depende do outro só pra ser diferente, pra se completar
Sei que um se afasta do outro, no sufoco, somente pra se aproximar
Cê tem um jeito verde de ser e eu sou meio vermelho
Mas os dois juntos se vão no sumidouro do espelho"
- Leila Pinheiro - Catavento e Girassol


Ouça a música no youtube. Vale a pena

sábado, 2 de agosto de 2008

Houve uma vez dois invernos

Ao som de: Estado das coisas - Semeadura

_____Eu escrevo de novo: Uma vez a cada ano, no mês de agosto, o Tiago encontra o Vento em um jardim. E falam-se durante muito tempo; e a cada vez o Tiago vai embora dizendo ao Vento: -"Meu amigo, temo que jamais venhamos a concordar".

_____Em Porto eu aprendi que não adianta lutar ao lado do rei. É preciso lutar pelo rei. Acreditar e querer.

_____Estou preocupado com meus sonhos: eles estão se tornando perigosamente reais.

_____E só por hoje eu terei o máximo cuidado com meu modo de tratar as pessoas, sendo gentil nas minhas atitudes, não criticando ninguém, não pretendendo melhorar ou disciplinar ninguém senão a mim.

"...esteira de vento e luar... vento e luar."