domingo, 23 de dezembro de 2007

Tendo o sol como testemunha

Ao som de: Tool - Shism

Resposta do Tiago para o Vento, cantada com um sorriso de quem finalmente achou o seu lugar dentro da letra da música:
You're perfect, yes, it's true
But without me you're only you.
Your menstruating heart
It ain't bleedin' enough for two

Baixar um litro de bacardi as 7 e meia da manhã foi foda.
Dar um banho no Tchuky no revival foi épico
Sair do revival as 9 e 13 da manhã foi muito sem noção.
Argumentar com o compadre foi bom.
Conversar com a Vida na sacada foi difícil. Mas foi muito bom.
Realmente espero que ela lembre do que disse e do que ouviu.
Mas o mais foda de tudo foi highway to hell. A primeira frase.
Uma noite para provar que eu tenho estrutura.
E que a música do tool em questão é shism.

Ah sim, festa só para os de coração forte.

sábado, 22 de dezembro de 2007

Ainda é tarde demais...

Ao som de: Fletwood Mac - The Chain


Café no fim da noite, sem paciência para chimarrão.
E, ironicamente, enxergo um planeta cada vez que olho pro céu.
É justo. Não seria meu céu se ficasse vazio.

E o tapa na cara que me fora dado foi devolvido.
Nada do que é inaceitável permanecerá.
É justo. Não seria meu mundo se não fosse justo.

Pessoas que vivem em tempos diferentes
É bom, disso não posso duvidar.
Mas conseguiríamos viver em harmonia.??
É confuso. Não seria pensamento meu se não fosse.

Continuo sem fumar
Dividido entre uma vontade absurda e latente
E uma raiva por ter vontade
E não seria um problema se não fosse por essa dualidade.

Carta que recebi do Vento:
O vento soprou de leve. Balançou as flores pra lá e pra cá.
O vento soprou frio no rosto dos meninos.
Soprou forte. Levou o chapéu do seu Juca. Levantou a saia de Dona Sônia.
Bateu portas e janelas com força.
Soprou e soprou. Secou toda a roupa no varal.
Jogou no chão as folhas amareladas.
E o vento levou pro céu meu avião de papel.

Infantil e inocente, como era prá ser desde o princípio.
Além de promoções, o verão é um tempo de reencontros e descobertas.
E dizem que as almas se reencontram assim desde que o mundo é mundo.
E elas se descobrem. Pessoas com armadura não têm vez nessa luta.
É mágico. E eu me lembro que ainda tenho feitiço.

E procurar alguma música do Tool que defina tudo isso parece ser perda de tempo.
A regra finalmente falhou.
Tudo tem um limite. Tudo mesmo.

sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

Sozinho.

Qualquer idiota teria olhado para o céu e percebido a lua.
E eu de olho em Marte, que brilhou bastante no oeste do céu.

E na mesma cena que vi tantas vezes, encontro meu personagem.
Não faço parte da letra da música, nem estou no palco.
Sou o cara que reconhece seu lugar e vai embora.

As palavras não resolveram nada
Agora vou tentar meu silêncio.
Todas as perguntas têm respostas.
Mas as pessoas, as vezes, não estão prontas para as respostas.

Limpar a casa não está sendo fácil.
Mas tudo faz sentido quando olho para o espaço que está aparecendo.
Enquanto jogo todo o lixo prá fora.
Enquanto tiro da minha vida tudo que é inaceitável.

No espelho que reflete a essência, meu olhar atesta:
Não é a mesma pessoa.
Pouco importa se acreditam ou não.

Achei que ia ter descanso tirando férias de mim mesmo
Engano miserável
Trabalho é o que não falta
Para transformar a fantasia dele na minha realidade...

quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

É inaceitável e ponto.


Ao som de: Los Hermanos - o Ventuira inteiro [sim, o compadre está certo]


Se mares calmos não fazem marinheiros habilidosos, eu sou o marinheiro mais foda do mundo.

Falando em mar, desculpem-me o trocadilho, mas o Vento foi falar com o mar e agora fico eu aqui, colocando as coisas no lugar, depois de uma bagunça sem tamanho que ele fez. Tudo exageradamente intenso.

Uma despedida em silêncio é muito pior do que qualquer palavra de adeus.

Lembrando que:
NÃO MARQUEM NADA PARA O NATAL... SERÁ UMA PROEZA ÉPICA
Informações com o Nhô Clóvis ou o Tio Luis, os organizadores da festa

terça-feira, 18 de dezembro de 2007

Friends don't harm friends

Uma proposta que assusta
Uma festa sem proporções...


¿Mas haverá vontade política suficiente para me manter longe,
Longe do que mais preciso.??

É como um frase escrita num baixo. Falta uma palavra.
cade meu livro do Osho.??


Do fundo do coração vem o entendimento...
Esse ano não vou conseguir passar o Natal sozinho..
Nunca consegui.

Por mais que eu [erradamente] queira
Nunca mais vou estar sozinho.
E as asas não pesam tanto quanto parece
E não falo do desenho dessa vez...


Cuidaremos da casca ou da essência.???
Existiria eutanásia para o amor.??



and yet I fight....

sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

Minha mãe me deu uma alicate.

Estou comovido com o esforço de vocês em me fazer chorar.
Não ainda, senhores... não ainda...




Lenine - Paciência

Mesmo quando tudo pede
Um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede
Um pouco mais de alma
A vida não pára...

Enquanto o tempo
Acelera e pede pressa
Eu me recuso faço hora
Vou na valsa
A vida é tão rara...

Enquanto todo mundo
Espera a cura do mal
E a loucura finge
Que isso tudo é normal
Eu finjo ter paciência...

O mundo vai girando
Cada vez mais veloz
A gente espera do mundo
E o mundo espera de nós
Um pouco mais de paciência...

Será que é tempo
Que lhe falta prá perceber?
Será que temos esse tempo
Prá perder?
E quem quer saber?
A vida é tão rara
Tão rara...


S-A-U-D-A-D-E

terça-feira, 11 de dezembro de 2007

O espelho certo.

As vezes encontro textos, as vezes textos me encontram...

DIAs 29 = DIA DA ESPIRITUALIDADE

Quem nasce neste dia e souber orientar sua vida para o bem, conseguirá tudo o que desejar, pois o número 29 tem a característica de imprimir força ao nativo. É, um extremista: o 2 e o 9 levam-no ao estado de euforismo ou à melancolia. Tem grande capacidade auditiva e senso variado de humor, podendo em questão de segundos ir da alegria contagiante à mais negativa das formas: a violência. É um ser altamente espiritualizado e as pessoas que com ele convivem devem também comungar de seus ideais, pois caso contrário podem-se tornar seus inimigos.

Para conseguir se realizar usa de imaginação, brandura de modos (quando não o contrariam) além de elevado espírito de conciliação. Como é moral e intelectualmente elevado, usa a fé, o idealismo e o conhecimento inspirado para tingir seus objetivos, seus ideais. Sendo extremista, está sujeito a muitas mudanças comportamentais ao longo de sua duradoura vida e, por isso, deve procurar interesses definidos e manter o ânimo calmo e equilibrado, pois a sua normal agitação o torna disperso, provocando muitos começos e poucos fins.

Há uma grande tendência a se voltar para a religião ou esoterismo após os 45 anos e deve cuidar para não cair no fanatismo e também não induzir os demais, pois como é inspirado e cativante, tem facilidade de convencer quem quer que seja. Para ter sucesso na vida, necessita de harmonia em tudo e com todos, pois tem muita dificuldade em se situar no meio termo.

Apesar de ser um pacifista, diplomata e conciliador, pode se tornar agressivo fisicamente, quando os seus princípios são violados ou as coisas não correm como gostaria, causando-lhe grande perda de energia e levando-o a se tornar irascível e até insuportável. As frustrações, desenganos e derrotas eventuais, podem lhe causar perturbações estomacais e demais órgãos do aparelho digestivo, ou mesmo moléstias de difícil diagnóstico e que se curam de maneira misteriosa. Tem tendência à obesidade e, por isso, deve controlar a alimentação e bebida. Fumar lhe é altamente prejudicial à saúde.

Certo que quem escreveu isso me conhecia.

¿¿Se eu não tivesse visto um céu cheio de estrelas enquanto tomava um banho de chuva, o texto teria me encontrado.??

sábado, 8 de dezembro de 2007

Todos os motivos pra sorrir

Ao som das consequências das minhas ironias

_____
Nova resposta oficial: eu nao bebo e não fumo porque é muito divertido quando chega as 3 da manhã e tá todo mundo meio fora. E porque chego as 7 da manhã como se nada tivesse acontecido.

_____¿¿Quem precisa de mar quando se sente a virada da maré no olhar de alguém que pensa em desertar.??

_____¿¿E desde quando eu fico esperando coisas acontecerem.??

_____Nem fósforo, nem gasolina. Sou o oxigênio. Quando o circo pega fogo sempre tem dedo meu.

_____Não pensar não é mais uma opção.

_____Fico-lhes muito grato.

terça-feira, 4 de dezembro de 2007

Disconexas lembranças.

Ou: se não é justo, pelo menos tende a ser

Ao som de Acústico Paulinho da viola

_____Li um post antigo meu. Lembrei de tanta coisa. Lembrei de uma conversa sobre grimórios e uma pergunta. "- Mas quem disse que o grimório que você está procurando é um livro." E foi nessa época que eu comecei a pensar em uma tatuagem grande nas costas. Lembrei de uma coisa que eu escrevi faz tempo. Falando em lembrar, lembro dos mortos. É muito fácil mentir com a boca e com um sorriso. Mas não com um olhar. E eu continuo fazendo o que me mandam.

_____Há uma diferença capital entre teimosia e perseverança. E nesse silêncio que paira no ar eu fico ainda mais atento. Presto atenção ao horizonte e sigo em frente. É um silêncio cheio de signos.

_____E tudo que eu escrevi sobre outrem eu deletei do texto e da alma. É pra frente que se vai.

"- E quem disse que você vai ter que usar a espada para lutar.??"

quinta-feira, 29 de novembro de 2007

E eu sei que ela sabe que eu sei que ela sabe....


Ao som de: PJ Harvey - Shame


_____Eu começo a perceber que as terças são decisivas. Eu vou ensaiar e sei que tudo pode acontecer depois. Uma conversa franca e inesperada no meio de um jogo de sinuca. E eu agradeci pelo conselho certo do único jeito que podia: não sendo desprezível. E eu disse o óbvio. A vida fica mais fácil de ser vivida quando temos amigos que nos dizem o óbvio.

_____Um bar com amigos. Todas as oportunidades para se fazer a coisa errada desfilando na minha frente. E eu sem beber, e sem fumar, e sem fazer o que sempre faço. O Di perguntou se era por causa de uma promessa. Na verdade é por causa de uma aposta. E porque eu cansei de me destruir. Dessa vez não sinto culpa e por isso não me castigo mais. Não perco mais pedaços da minha alma. Guardo ela comigo por que vou precisar de tudo. Se foi um teste eu passei. Lembrei do que eu escrevi sobre traição uma vez.

_____Surpresa. Eu não me traí.

_____Há uma frase em latim que explica muita coisa: Vincit, qui se vincit


Tudo é uma coisa só.


terça-feira, 27 de novembro de 2007

É melhor andar devagar na direção certa do que rápido na direção errada

Ao som de: U2 - Where the streets have no name

A posse fica em discussão. Um corpo, duas asas, 5 estrelas, 5 cordas, uma espada, um anel, fé, esperança e amor. Cabe tudo num estojo.
Ai, meu amor pra sempre... nunca me conceda descansar...

"Apesar de admirarmos os pássaros e as gaivotas em vôo, o instinto nos diz que para dar os primeiros passos é necessário que tomemos a decisão de voar. E esse se jogar para o desconhecido é a atitude que se paga. Sempre. É arriscado, envolve uma aposta besta em nossas mais despercebidas qualidades. Mas o vôo é inegável."


E lá vai o Vento para o seu vôo mais longo rumo ao seu horizonte particular, rumo aos seus sonhos.

quarta-feira, 21 de novembro de 2007

Nas entrelinhas das minhas cinco cordas.

Ou: É lógico que ela tem uma pérola

Ao som de: EngHaw - Perfeita Simetria

A partir do alto da montanha
Vc pode verdadeiramente subir
e somente num silêncio profundo
é que a música começa a existir
Vc pode até duvidar de mim
Assim como eu posso duvidar de vc
No fundo somos apenas humanos,
Ñ sabemos o que o amor pode fazer
Só sabemos do nosso egoísmo
De todo o medo que nos cerca
Dos muros que construímos
Para proteger nossa vida sem rumo
Em direção a uma morte certa.
E se subimos tão alto
Talvez agora consigamos cantar
E se apostamos tão alto
Será que aprendemos a amar.?
Por que agora o silêncio é companhia
Assim como a dor já foi um dia
Mais uma paixão atravessada
Mais uma triste poesia.


O silêncio é ensurdecedor..

terça-feira, 20 de novembro de 2007

Burro eu que tomo tudo como uma lição...

Se for uma prova, eu sei as respostas
Se for uma briga, eu sei me defender
Se for uma guerra, eu sou estrategista
Se for um desafio, eu acredito na minha força
Se for um jogo, eu quero jogar dentro das regras
Se for um tombo, eu vou me levantar
Se for um vôo, eu não quero voar sozinho
Se for uma lição, eu aprendo com humildade.
Se for um castigo, tenho certeza que é merecido
Se for uma despedida, eu morro e morro de saudade.
Se for um reencontro, eu renasço e renasço de verdade.
E se não for um SE, então eu e vc teremos nossa história como deve ser.

domingo, 18 de novembro de 2007

Sim, eu vou mesmo precisar de sorte...

De repente o azul do céu ficou mais azul
O vento soprando bem mais forte no meu quarto e no meu mundo
Mas isso só torna as coisas ainda melhores
Tenho recebido tudo que me era devido por mérito
Talvez seja minha visão turva pela luz da palavra
Talvez seja um milagre
E um milagre é quando as coisas são como devem ser.
É assim que os sonhos são feitos:
Ventando pela minha cabeça
Com estrelas no coração


E o show dos Engenheiros eu assisti respeitosamente em silêncio, mesmo conhecendo todas as músicas. Uma única frase escapou dos meus lábios: "não quero ser o que eu não sou
eu não sou maior que o mar..."

Silêncio, aliás, que está presente demais.

O sorriso da minha professora de sanidade é a única coisa que chega perto de me deixar em paz...

quinta-feira, 15 de novembro de 2007

Las aventuras de Los Messalinos Veementes

Ao som de: Foo Fighters - Times like these

[Pela conversa com o compadre, por ele ter lembrado o que eu disse e ter reconhecido a magnituide do meu sorriso. Por um beijo embaixo de chuva. Pela dogmática certeza de que sempre dá certo. Pelo desejo de novidades.]

_____Já que pormenorizei bastante no diário o que aconteceu na terça, não vou falar nada aqui. Pena é a Cíntia ter menosprezado. Show da Hey Mama! no vagão. Antes de começar a tocar lembrei do compadre dizendo "é sempe bom te ver tocando o horror no palco". Lembrei da terça, lembrei da chuva forte. E sorri o show inteiro, gritando certas letras. E pulando sem parar.
_____É uma perspectiva interessante: mesmo com um show do caralho, ouvi alguns elogios e muitas reclamações por não ter tocado smashing punpkins. O que ninguém entendeu é que eu queria tocar mais do que ninguém (mais até do que aquele cara que não parou de gritar Billy Corgan o show inteiro). Sei o quanto a banda significa para as pessoas que gosto.

_____Depois do show, sentado na janela, conversando com os mesmo tijolos de sempre, explicando o porque tudo tinha sido diferente, percebi que o sorriso estava ainda maior. E vem o compadre intimando para o revival. ¿Porque não.? E, no revival, entre uma tequila e outra, com a certeza de que estava no lugar mais certo do mundo, escolhemos as 3 primeiras músicas. Sober, Eulogy e Schism. Um tool cover.
_____E ainda é quinta-feira na minha contagem regressiva até domingo de noite. Em última instância, as coisas estão sendo como devem ser: as coisas grandes para os grandes, os abismos para os profundos, as branduras e os tremores para os sutis e, em resumo, as coisas raras para os raros.

segunda-feira, 12 de novembro de 2007

Minha evolução...

Ao som de: Cardigans - My Favourite Game

_____Já que recebi uma visita ilustre, resolvi escrever de novo por aqui. Ando escrevendo em outros lugares, ando vivendo muito. E estar fora da vitrine está me fazendo bem. A certeza está me fazendo bem.

_____Cansei de fugir e aceitei a idéia de testar a mim mesmo. Descobrir se realmente consigo lidar com a independência e a intensidade que tanto desejo. É um teste estranho, visto que sou a única testemunha e o único juíz. E ficam os conselhos dífíceis de entender e de interpretação complicada.

_____Não me prender a uma pessoa, por mais que ela seja a mais querida. Toda pessoa é uma prisão.
_____Não me prender a uma compaixão, ainda que dirigida a homens superiores, cujo martírio e desamparo o acaso me permite vislumbrar.
_____Não me prender a uma ciência, ainda que ela me tente com os mais preciosos achados, guardados especialmente para mim.
_____Não me prender ao meu próprio desligamento, ao perigoso abandono e afastamento do pássaro que ganha sempre mais altura, para ver mais e mais coisas abaixo de si - esse é o perigo daquele que voa.
_____Não me prender as minhas próprias virtudes para não me tornar uma vítima de uma das minhas peculiaridades.

_____É perigoso tratar a si mesmo com indiferença, exercitando a liberdade a ponto de torná-la um vício. É preciso saber preservar-se. Essa é a mais dura prova de independência.

_____Agora eu sei que me faltava o olhar do conhecimento quando olhava para as estrelas como se elas estivessem acima de mim.


Banda nova. Finalmente algo novo dentre a mesmice que popula nossas festas e shows.

domingo, 4 de novembro de 2007

Tem coisas que eu não entendo...

Ao som e ao gosto de: Ilex Paraguaiensis

"Desassossegados do mundo correm atrás da felicidade possível, e uma vez alcançado seu quinhão, não sossegam: saem atrás da felicidade improvável, aquela que se promete constante, aquela que ninguém nunca viu, e por isso sua raridade.

Desassossegados amam com atropelo, cultivam fantasias irreais de amores sublimes, fartos e eternos, são sabidamente apressados, cheios de ânsias e desejos, amam muito mais do que necessitam e recebem menos amor do que planejavam.

Desassossegados pensam acordados e dormindo, pensam falando e escutando, pensam antes de concordar e, quando discordam, pensam que pensam melhor, e pensam com clareza uns dias e com a mente turva em outros, e pensam tanto que pensam que descansam."

E eu precisei achar sossego pra entender isso.

Não tem choro, essa eu ganhei: A Sua e Meu Esquema tocadas em sequência são ironia bem maior.

Da próxima vez, eu vou tocar pour elise.

quinta-feira, 1 de novembro de 2007

Toda véspera tem cheiro de véspera.

Ao som de - Tool, depois Los Hermanos

_____Depois de ontem, de uma conversa foda com o Taloco (com o humano, não o personagem) eu queria postar algo sobre a conversa, mas acabei desistindo por dois motivos. Seria impossível descrever a abrangência do que conversamos e como isso nos fez pensar. O outro motivo é que ficaria fora de contexto e as pessoas não iriam entender nada ou quase nada, e continuariam achando que entenderam tudo. Enfim, foi uma conversa daquelas que fazem crescer, daquelas que andam tão raras ultimamentes. Gosto desse tipo de coisa: quando menos se espera é preciso provar do que somos feitos, sem máscaras, sem personagens. Uma relação de apoio, mas sem depêndência. Não postei, também, porque eu estava sentindo uma coisa estranha, como se houvesse mais por acontecer. Como se algum fato fosse reforçar ou testar o que conversamos. Ironicamente, eu estava certo.

_____Fui dormir seguro de mim. Aquela sensação boa de confiar em si mesmo e, mais importante, confiar em quem luta ao nosso lado. Acordei cedo demais e aí sim as ironias começaram. Pergunto-me se aquele profile novo no orkut é para tentar convencer a mim mesmo ou a ela. E pergunto qual é o objetivo de tudo. Basta que fiquemos bem e nossos fantasmas voltam. ¿¿Seria isso um teste ou um sinal do caminho.?? ¿¿Se for um sinal, o que ele significa?? Que estamos no caminho certo ou errando em 180º??

_____Não me ocorre nenhuma metáfora, então vou ter que narrar os fatos. Encontrar a Ostra foi inesperado, mas o primeiro pensamento que me ocorreu foi um é lógico®. Uma conversa besta sobre frivolidades que me embrulhou o estômago. E tudo que fora conversado na véspera voltou. Tive certeza que ia chover. No começo me perguntei o quanto eu quero o que eu quero. Uma quadra depois eu já estava me perguntando se eu realmente quero o que eu quero. Me encanta os caminhos do pensamento da gente. E eu insisto, há coisas que não fazem sentido...

_____Pelo menos tenho a liberdade de tocar um foda-se em tudo isso. Tenho quem me salve. E tenho uma pessoa para salvar.

_____Seguindo, chego em casa e falo com o compadre que também teve sua via-crucis de pensamentos. Tá todo mundo locão, é isso.?? Sem conseguir me concentrar em nada sério, fui jogar meu bom e velho vídeo game. Um jogo onde eu deveria invadir uma cidade cheia de zumbis e resgatar uma menininha. Quando eu estava matando peixes com tiros de 12 e um corvo com uma granda, percebi que meu pavio anda meio curto ultimamente. E aí volta o compadre com uma teoria que quero compartilhar com vocês.

_____A teoria é que Los hermanos tem a causa e a cura de todos os problemas de relacionamento. Ele embasou sua teoria no exemplo que segue:

A causa: Los Hermanos - O pouco que sobrou

Eu cansei de ser assim
Não posso mais levar
Se tudo é tão ruim
Por onde eu devo ir?
A vida vai seguir
Ninguém vai reparar
Aqui neste lugar
Eu acho que acabou
Mas vou cantar
Pra não cair
Fingindo ser alguém
Que vive assim de bem

Eu não sei por onde foi
Só resta eu me entregar
Cansei de procurar
O pouco que sobrou
Eu tinha algum amor
Eu era bem melhor
Mas tudo deu um nó
E a vida se perdeu
Se existe Deus em agonia
Manda essa cavalaria
Que hoje a fé
Me abandonou


E a cura: Los Hermanos - Tá bom

Senta aqui que hoje eu quero te falar
Não tem mistério, não
É só teu coração
Que não te deixa amar
Você precisa reagir
Não se entregar assim
Como quem nada quer
Não há mulher, irmão, que goste desta vida
Ela não quer viver as coisas por você
Me diz, cadê você ai?
E ai, não há sequer um par pra dividir

Senta aqui, espera que eu não terminei
Pra onde é que você foi
Que eu não te vejo mais?
Não há ninguém capaz
De ser isso que você quer
Vencer a luta vã
E ser o campeão
Pois se é no "não" que se descobre de verdade
O que te sobra além das coisas casuais
Me diz se assim está em paz?
Achando que sofrer é amar demais


_____Prá mim, isso fez mais sentido do que tudo que aconteceu nessas últimas 25 horas. Justamente por ser uma conclusão digna de tudo que aconteceu. E choveu. E eu peço que a chuva caia devagar. Estava com saudade dela.

domingo, 28 de outubro de 2007

Eu gosto de saber a palavra certa...

Ao som de: Cordel do Fogo encantado - Chover

_____"Amigo? Aí foi isso que eu entendi? Ah, não; amigo, para mim, é diferente. Não é um ajuste de um dar serviço ao outro, e receber, e saírem por esse mundo, barganhando ajudas, ainda que sendo com o fazer a injustiça aos demais. Amigo, para mim, é só isto: é a pessoa com quem a gente gosta de conversar, do igual o igual, desarmado. O de que um tira prazer de estar próximo. Só isto, quase; e todos sacrifícios. Ou - amigo - é que a gente seja, mas sem precisar de saber o por quê é que é." - GS:V

_____Homem foi feito para o sozinho.? Foi. Mas eu não sabia.

quinta-feira, 25 de outubro de 2007

Esteira de vento e luar

Ao som de Vitor Ramil - Semeadura


_____
Pelas minhas palavras eu mato e morro. E as vezes vivo. Desisti do Goethe. Antes de voltar para o meu diário, escrevo, leio e abstraio. Nietzche sempre foi uma boa compania, tão ou mais perigosa que eu. E meu nome é bem mais fácil de soletrar.

_____Essa é minha forma de dizer que amo, sem ser banal, sem ser medíocre e sem ser arrogante. Sinceridade tem sido um hábito terrível (e kamikaze, como diria o compadre).


Entre o mar e o céu

No meio dia da vida, no jardim do verão
A inquieta ventura em se deter, atentar e esperar
Pelos meus amigos aguardo, dia e noite disposto
onde estão meus amigos?
O tempo parece ser apropriado

Não foi para vocês que o cinza do gelo
hoje se adornou com rosas?
É a vocês que o riacho procura, e ansiosamente aflue
E se batem ventos e nuvens, mais alto no azul
Para observá-los a distância, como pássaros na espreita

No meu santuário coloquei a mesa:
Para aqueles que vivem mais próximo das estrelas
e para os habitantes das horríveis profundezas do abismo.
Meu reino - e que reino se estendeu mais longe?
E o que em mim é doce - quem o terá provado?

Aí estão vocês, amigos!
Não é a mim que procuravam?
Vocês hesitam, surpresos - seria melhor se tivessem rancor
Eu não sou mais eu.? Mudei de mão, de rosto, de andar?
O que eu era, acaso não mais sou?

Terei me tornado outro.?
Estranho a mim mesmo? De mim mesmo, fugido?
Um lutador que muitas vezes venceu a si mesmo?
Que muitas vezes lutou contra a própria força,
Ferido e detido pelas próprias vitórias.

Procurei onde o vento sopra mais cortante
e aprendi a viver onde ninguém habita,
nos desertos de gelo, onde o frio queima
Desaprendi Deus e Homem, oração e maldição
Tornei-me apenas uma sombra do que fui

Meus velhos amigos de rostos pálidos
transtornados de ternura e espanto!
Não se aborreçam, aqui não poderiam ficar
Aqui é preciso ser o caçador sem piedade
E a caça que luta pela vida

E um mau caçador me tornei .
Vejam como está tenso meu arco
Apenas o mais forte sabe respirar e atirar
Peço que tenham cuidado, perigosa é minha flecha
Mais do que todas, mais do que a sorte.

Tanto sofreu meu coração
E forte permaneceu sua esperança
As suas portas continuam abertas
Renunciando aos antigos e às lembranças!
Ele era forte? - Pois agora é mais e com mais coragem.

O que uma vez nos ligou, o laço da mesma esperança,
Quem ainda lê os sinais do coração.?
Signos que há tempos o amor ali escreveu
Eu os comparo a um pergaminho que a mão teme tocar
E que, como ele, está queimado e enegrecido!

Basta de amigos! Como chamá-los?
Também são sombras do que eram
Que de noite, tentam ainda meu coração e minha janela
e me olham sussurrando: "Ainda somos nós, estamos bem"!
Palavras murchas, que um dia cheiraram a rosas.

Sonhos juvenis tão cheios de ilusão,
aos quais buscava nos impulsos da minha alma,
Agora vejo tudo envelhecendo
E somente quem muda pertence ao meu mundo

Meia noite da vida. Jardim do outono
Pelos meus amigos aguardo, dia e noite disposto
onde estão meus amigos?
O tempo parece ser apropriado

O hino antigo cessou de soar,
O doce grito do desejo e da saudade expirou nos meus lábios.
Um mago foi o seu autor, o amigo da hora certa
o amigo do meio-dia.
Não, não me pergunteis quem é;
ao meio-dia, o que era um,
dividiu-se em dois.

Agora podemso celebrar, seguros da vitória comum
A festa das festas
O amigo alado chegou, subjugando o próprio silêncio
O mundo pode rir, rasgou-se a cortina do ódio velado
É a hora do casamento entre a minha luz e as trevas.

segunda-feira, 22 de outubro de 2007

Isso que eu estava de folga

Ao som de: Dezesseis

_____Na verdade não queria escrever nada. Acho até que nem precisaria escrever. Tanta coisa boa e intensa ao mesmo tempo. Dias de 25 horas sempre ensinam muito. E de novo eu aqui, sentindo uma solidão quase doloriada, mas com uma sensação de missão cumprida que encobre todo o resto. na quinta eu corri como louco e as coisas começaram a acontecer. Um show bom enquanto ensaio. O compadre dança bem. Era pra´ter sido só uam noite tranquila. Tomei mijada que só um amigo conseguiria dar. Continuo achando que kamikazes não precisariam de capacete, ma so ponto é que não adianta eu jogar um avião no mar só porque é uma atitude bonita. Amar desse jeito é foda. Tá escrito isso no meu celular.

_____E começa sexta-feira, mais 25 horas. Correria, tocar dançando. Chapéu canalha. Há uma primeira vez para tudo. Fui para o vagão para apoiar o time, mas lá eu não serviria para nada. E então eu tive uma idéia genial, daquelas que a gente se pergunta porque não pensou antes. Rota do Sol aberta até as 7. Dava tempo. Andando a 150 o mundo passa rápido e insignificante pela janela. Lembrei de trechos da música no vagão. "ele andava meio quieto demais, só que quase ninguém percebeu". Sim, e de fato, o compadre sempre percebe. Imediatamente sorri. "ele era fera demais, prá vacilar assim". Sei bem que água salgada sempre serviu para colar os pedaços do meu coração. Amanheci no meu lugar, brincando com a areia. Rindo de uma aposta, rindo de mim mesmo. O tempo era curto. Foi bom falar com o compadre no telefone enquanto havia 200 km entre nós, mas ambos estavam voltando para casa com o mesmo sorriso. Desenhei uma estrela. Achei melhor desenhar cinco. Agradeci pelos idiotas mudos, pela resposta nua e crua que me fora dada. Ali eu decidi transformar um "se" em um "quando".

_____Uma noite de sábado mágica. Uma manhã política. Além de sniper. sou negociador. E sou bom. Sempre vai amanhecer.

_____Acabei falando só dos fatos. Guardo o que penso para quem me olha nos olhos. E para meu caderno de linhas retas e letra torta. E para o Virgílio, que tem sido um apoio e tanto ultimamente. Saber como as coisas são não torna nada mais fácil. Encontrar o Diabo numa esquina também não. Nenhuma foto caberia aqui.


_____Li num perfil do orkut que "é muito difícil traçar uma linha entre ser gentil, não magoar os outros e lutar pelo que eu quero. Gostei disso. No fundo, a verdade é que "everything's gonna be fine fine fine". A duras penas comprovei que continuo tocando pelo mesmo motivo.

quarta-feira, 17 de outubro de 2007

Tudo ao mesmo tempo

Ao som de: Nada

____Ligar não é fraqueza, é força. A coragem que falta para atender um telefonema. Mas eu entendo e perdôo. Eu quero. A barca pode ser furada, mas ela é pra voar e não navegar. O mar não tem medo de barco furado. Poderia ser uma lapiseira ou um baixo, ma seu chamo de espada. Poderia ser um nada, mas eu chamo de espírito. Poderia queimar, mas é chama que arde sem se ver. no olhar que me evita, no silêncio que me é imposto. Espelho é tão fino e cabe um mundo dentro dele. Álcool pra esquecer, para amenizar. Não deu certo, mas eu tinha que tentar. Botão abortar, um mendigo ou um anjo. Não, a gente não acha isso pouco. Mas também não acha muito mais do que suficiente. Tenho raiva de quem ama todo mundo, de quem ama tudo. Será que o amor é tão banal assim.? Dicionário para ter certeza. Mediocridade justificada com amor. Minha mão e minha vida eu daria por poucos. Pouco vale muito. Vale mais do que eu. É fato, bombom não é pra cavalo. Algo entre um sorriso sem gato e um gato com sorriso. Uma raposa. Um santo para cada um, como eu já disse. Um jogo para cada um, como eu já disse. E um livro para cada um. Ironia e confusão. Se não fosse confuso não seria minha vida, se não fosse irônico não seria útil. Eu faço pensar e assim me refaço. Eu faço silêncio e assim me disfarço. Se há brilho no olhar, no coração há estrelas. As estrelas que riem para mim. Não, não é riso frouxo, é pena mesmo. Uma catedral no fim da rua. Eu sou o bêbado dela. A redenção da minha camisa lilás. Ser frio não é para qualquer um. Incompetência de quem não consegue se suicidar. Incompetência de quem julga com os parâmetros errados. Incompetência de quem acha que sabe o que é certo e errado. Azar de quem consegue. O mais insuportável dessa vida é que tudo nela é suportável. No inferno, um anjo luta todo dia. Dois, na verdade. Ainda bem que há pessoas mais fodas que o Chuck Norris. Mas eu estou certo e ela errada. Se o Taloco e a Cìntia concordam, não posso estar errado. O medo ofusca. O sol refletido no mar também. O amor é grande e cabe na minha janela sobre o mar. O mar é grande e cabe na cama e no colchão de amar. O amor é grande e cabe no breve espaço de beijar.

____Ter data não significa nada. O tempo anda na velocidade que quiser.

____É claro que eu me exponho, que espécie de idiota mudo eu seria se não falasse demais.??

____Teu plano também é bom, mas alguém tem que ser kamikaze nessa equipe. Só me arruma a faixa e o sakê.

segunda-feira, 15 de outubro de 2007

"... mas estamos vivos ainda."

Segundo

Em cada segundo que sinto
O tempo vem e me cobra
Os dias que desperdicei
Inventando uma pobre obra
Sem sentido, me sinto vazio
Surdo, surdo e um pouco mudo
Perdido sem fé
Luto, luto e pouco mudo
Olho para dentro
E isso me cega
Então eu fujo
E minha alma não sossega
Morrer é mais fácil do que viver
Fugir é mais fácil que crescer
Adiar é mais fácil do que escolher
Calar é melhor do que dizer.

Todos os dias eu acordo perdido
Sem saber prá onde ir
Me arrastando de hora em hora
Procurando apenas um lugar bom para cair
Todos os dias eu rezo
Para que essa sensação ruim
Passe durante o dia
Para que eu durma em paz no fim

Mas eu sempre preciso enfrentar meus fantasmas
Todo dias, todos os dias
E, o que é bem pior,
Todas as madrugadas.

sexta-feira, 12 de outubro de 2007

Dentro de uma camisa lilás, atrás de um rótulo de bacardi e do melhor baixo do mundo. Praticamente invisível

Ao som de: ACDC - Highway to Hell


_____Em algum momento da semana passada eu conversei com o compadre. Comentei que estava lendo um livro estranho, que falava sobre mineiros numa mina de carvão na França em algum lugar do passado. O compadre perguntou porque eu estava lendo. Eu disse que estava procurando uma determinada parte, que nem eu sabia qual era, mas que quando a lesse eu saberia. Li com uma certa obstinação, procurando, rindo de vez enquando, sabendo que haviam pensado em mim em deternminadas passagens. Quando cheguei na página 500 encontrei o que estava procurando. Adoro essas coinscidências inexplicáveis.

_____- Que idiotas fomos em esperar tanto tempo! Logo que te conheci apaixonei-me por ti e não copmpreendeste, ficaste zangado.
_____- Tu me bateste uma vez, lembras-te? Dois tabefes bem aplicados.
_____- Porque te amava...- murmurou ela. - Sabes que eu evitava pensar em ti.? Dizia-me que estava tudo acabado entre nós mas no fundo sabia que um dia viveríamos juntos... Só faltou ocasião, um acaso feliz, nõa é verdade.?
_____Um arrepio o deixou gelado, quis afugentar aquele sonho, depois disse lentamente:
_____- Nada acaba para sempre, basta um pouco de felicidade para tudo recomeçar.
_____- Posso ficar contigo dessa vez? Não vamos separar-nos mais?


Filme do Peter Pan na TV, durante o filme um troca de mensagens.

_____- Eu tenho saudade da época em que os ombros do meu pai eram o lugar mais alto que eu almejava chegar, que a minha maior teimosia era subir nas árvores quando minha mãe insistia para que eu ficasse no chão; da época em que o sorvete pedia mais tempo para ser devorado. A época em que meu coração era imperador e procalamava minha lei...
_____- Teu coração ainda é imperador, de um reino maior. E, mesmo se não fosse, o caminho de toda revolução sempre passa pelo coração das pessoas.

_____O final disso tudo machucou um pouco. Como se de repente eu descobrisse que um grande santo saísse do seu pedestal para cometer um pecado besta. E eu digo pecado besta porque eu mesmo o cometi. Fui embora só para descobrir que o que eu estava procurando estava exatamente aqui, o tempo todo. E acabei voltando tarde demais.
_____Deve ser por isso que me permito um arrependimento. Uma pena pintada e repintada de vermelho.

_____Eu tenho um caderno e um livro do Nietzsche. E não tenho razão, e considero isso uma das minhas qualidades, da mesma forma que a chatisse do compadre é uma virtude.

_____É fato, sempre nos machucamos quando não seguimos nosso coração.

_____Conversa perdida em alguma madrugada silenciosa da semana:
_____...
_____- Isso não me concerne mais.
_____- Acho que é a primeira vez que ouço você dizendo isso sobre uma coisa boa.
_____- Não entendi.
_____- Você sempre usa essa frase com coisas ruins, com pessoas que você se afasta quando deveria estar próximo
_____- O fato é que sei o que posso fazer e o que não posso fazer. Não posso ajudar todo mundo que quero. E as vezes minha presença só atrapalha. Vivo dizendo que fico na vida das pessoas somente enquanto sou útil.
_____- Cuidado com o que você diz, tuas palavras sempre voltam pra ti.
_____- Estou aprendendo isso.
_____...

_____Ciclos que começam, ciclos que terminam. Ciclos que acontecem todos ao mesmo tempo. Se não fosse essa confusão, não seria minha vida.

_____Bom que o comapadre veio aqui e as coisas voltaram para o lugar. Ele joga melhor, é fato.



_____Show no vagão, uma mistura de vontades: querer e não querer tocar. Querer e não querer tanta coisa. Estou cansado. Certo que me diverti. E cumpri uma promessa. Não são apenas pretextos. Encarnei meu personagem, como disseram.

segunda-feira, 8 de outubro de 2007

(Mais ) Um novo conceito de ironia

Além de jogar xadrez, eu e meu chefe temos um outro jogo bem interessante. É um puro e simples capeonato de ironias. É óbvio que nos dois casos eu sempre perco, mas me divirto e aprendo muito com as derrotas.

Filme do Peter Pan e da Sininho hoje, exatamente hoje. Ponto para o Senhor.

Mas que performance....

Essa é prá começar a semana com o pé direito.

Reparem na dancinha do sujeito. É algo entre o Six e o Mono.


quinta-feira, 4 de outubro de 2007

Interlúdio na hora certa

Enquanto eu não posto nada que valha a pena ser lido, o compadre mandou ver e me deixou orgulhoso das maluquices que ele escreveu.

Texto muito bom no blog do compadre


quarta-feira, 3 de outubro de 2007

So um rápido F5

Um livro complicado que eu não faço a mínima idéia de como vai terminar e de porque estou lendo. O fato é que estou gostando de lê-lo. Até agora esbarrei em citações de Marx e numa paixão ciumenta e mal resolvida dentro de uma mina de carvão. E numa série de frases interessantes sobre o vento. Adoro essa ambiguidade que meu apelido me proporciona.

Um retoque nas asas...
Para sentir mais dor, eu acho.
Para fazer justiça ao significado delas.

Uma nova esperança, mas que ainda me aperta o braço.
Uma lapiseira que encontrou seu caminho de volta e agora posso escrever no meu caderno como antes.

Cantar e tocar ao mesmo tempo é mais complicado do que parece.
E a minha garganta não quer colaborar.

Nada demais. Tive alguns dias de relativa rotina.
Mas tudo que é bom dura pouco.

Ainda não estamos atrasados, mas é uma mera questão de tempo.

Espero que eu consiga mudar isso também.

segunda-feira, 1 de outubro de 2007

Não sei que nome vou dar.....

Ao som de: Burning Bridges - Heart Full of Black

_____Foi diferente. Eu sabia que ia ser diferente desde a tarde, quando eu fiquei uma hora sentado no sol. Fiquei de canto a noite inteira. Posso considerar que fui feito para festas assim. As vezes a gente faz festa porque quer, e as vezes a gente faz porque tem que fazer. No lugar das dúvidas e do medo de ontem, coloquei um imenso sentimento de missão cumprida. O preço foi alto, mas precisava ser pago.

_____Durante o último cigarro ouvi o compadre me agradecer por estar ali. Na verdade quem agradece sou eu, de um jeito que nem ele nem ninguém conseguiria entender. Sentado na janela com os pés em cima do Cassino aceitei uma aposta que foi proposta sábado passado, logo depois de eu atravessar a Sinimbu olhando para trás. E um vento gelado e suave soprou. Eu não estava contando tijolos, estava olhando para um prédio na Sinimbu, em cima da galeria do Maua...

_____Essa noite foi do compadre, a minha ainda vai chegar. É inevitável.

_____A própósito, vcs estavam certos e eu errado. Eu jogo com as pretas.

_____E de noite foi selado um acordo de paz, ao mesmo tempo em que uma guerra está começando. Nunca se esqueça de que é justamente quando nos consideramos mais seguros que o inevitável acontece.

quinta-feira, 27 de setembro de 2007

Sempre existe um "...ou não."

Ficou decidido que não existe mais culpa
Que dois meses podem se passar em uma semana
Que vinho e conversas com quem gosta da gente não têm preço.
Que um show de pagode não é lugar prá mim, apesar da boa vontade.
Que a chuva ainda serve como testemunha
Que a Lua tá toda toda no céu.
Que passar uma tarde conversando sobre tudo faz um bem sem tamanho. E haja capuccino.
Que ter uma nutricionista em troca de shows pode ser recompensador.
Que ser ou não ser Jaguara é uma questão de saber ou não o que se quer.


E eu continuo tocando Tool.

Sober

Theres a shadow just behind me. shrouding every step I take.
Making every promise empty. pointing every finger at me.
Waiting like a stalking butler, who upon the finger rests.
Murder now the path of must we, just because the son has come.

Jesus, wont you fucking whistle. something but the past and done.

Why cant we not be sober? I just want to start this over.
Why cant we drink forever? I just want to start this over.

I am just a worthless liar. I am just an imbecile.
I will only complicate you. trust in me and fall as well.
I will find a center in you. I will chew it up and leave.
I will work to elevate you, just enough to bring you down.

Mother mary, wont you whisper. something but the past is done.

Why cant we not be sober? I just want to start this over.
Why cant we sleep forever? I just want to start this over.

I am just a worthless liar. I am just an imbecile.
I will only complicate you. trust in me and fall as well.
I will find a center in you. I will chew it up and leave.
Trust me. trust me. trust me. trust me. trust me.

Why cant we not be sober. I just want to start things over.
Why cant we sleep forever. I just want to start this over.



I want what I want...
I want what I want...
I want what I want...
I want what I want...

terça-feira, 25 de setembro de 2007

Antes de ser baixista...

Ao som de: Quinteto Violado - Palavra Acesa

Esperar é complicado, sempre foi e sempre vai ser.
Enquanto espero, fico tirando músicas
Essa eu tirei ontem de manhã, com o sol no leste do céu e o coração no norte da alma.

Pushit

I saw the gap again today
while you were begging me to stay
take care not to make me enter
and if i dont we all may dissapear

i saw the gap again today
while you were begging me to stay
managed to push myself away
and you as well my dear.

I will choke until I swallow...
Choke this infant here before me.
What is this but my reflection?
Who am I to judge or strike you down?

But you're
Pushing and shoving me.
You still love me and you pushit on me.

Rest your trigger on my finger,
bang my head upon the fault line.
Take care not to make me enter.
'cause if I do we both may disappear.

But you're pushing me,
Shoving me. Pushit on me.

Slipping back into the gap again.
I'm alive when you're touching me,
Alive when you're shoving me down.

But i'd trade it all
For just a little
Piece of mind.

Push me somewhere I don't wanna be.
Seeing someplace I don't wanna see.
Never wanna see that place again.

Saw the gap again today
As you were begging me to stay.
Managed to push myself away,
And you, as well my dear

and If, when I say I may fade like a sigh if I stay,
You minimize my movement anyway,
I must persuade you another way.

There's no love in fear.

Staring down the hole again.
Hands upon my back again.
Survival is my only friend.
Terrified of what may come.

Just remember I will always love you,
Even as I tear your fucking throat away.
But it will end no other way.


Por isso que eu quero fazer um Tool cover

segunda-feira, 24 de setembro de 2007

Inevitável

Fica.?

Minha infância é uma sensação
De descer morro correndo sem me preocupar em parar
Minha adolescência foi solidão.
De ter muito a dizer e ninguém com quem conversar
Não quero que minha vida seja decepção.
De ser o que sou e não ter ninguém para amar.
Mas entre o que éramos e o que somos
Não mire na cabeça, vc não pode matar minha mente
Mire no coração. A dor será suficiente prá você.?
E lentamente vou definhando
Pelo único pecado de que me arrependo
Porque eu realmente não entendo.
E enquanto você espera para atirar
Ou por medo ou por coragem
Descanse o seu gatilho no meu dedo.
Confie em mim. Conheço bem o seu medo.
Entre culpa, loucura e outras bobagens.
Ele é exatamente igual ao meu.
Vida loca, intensa demais
Que poderia ser melhor ainda
Se você desistisse de jogar
E entendesse a verdade nua e crua
Que todos os sinais querem nos mostrar

domingo, 23 de setembro de 2007

E foi assim no meu reino....

Ou Eu acredito em final feliz

Ao som de: Tool - 10000 days

_____Desde quarta. Desde sempre, ao que parece. Minha vida, meu corpo destruído. Festa estranha, cuidando do compadre, ainda repensando mudanças ordenadas. Era o começo, eu considerei.

_____Na quinta, filmes, uma janta com cardápio duvidoso. Uma sequela sem limites. E a se- quela durou até a hora do show na sexta. E além. Não sei dizer o que era real e o que eu estava sentindo mesmo por loucura. Um pouco de ansiedade, um pouco de nervosismo. Mas eu lembro que todo mundo deu a mão e eu rezei um pai nosso. Aquele era o momento, tudo ia dar certo. Meu corpo terminado, mas minha cabeça voando. E o show foi passando rápido. Durou uma garrafinha de água, e muitos olhares cheios de significado.

_____Quando tudo terminou, eu tinha vontade de simplesmente me largar no palco, desmaiar. Arrastei o que sobrou de mim até um sofá. Vi o compadre ao meu lado. Pedi fogo como que dizendo: "- Obrigado por tudo."


_____Na volta, uma piada de 27 kilômetros, outra de 10. Uma de uma quadra. Pega o celular, que tinha ficado no carro. Duas mensagens. Olho pro céu e pergunto: "- Tu tá me tirando né.??" Pelo sim, pelo não, voei pro revival. Atrasado, sempre atrasado, mas é assim mesmo, quando perdemos uma oportunidade, a vida demora muito para nos colocar diante dela mais uma vez. Pega o celular, liga, pessoa grossa do outro lado da linha. Minutos, celular toca, outra pessoa. E de repente passou tudo. O cansaço, a ansiedade, a vontade de parar tudo. E lá fui eu decidir meu destino de novo.

_____Uma conversa, um cigarro, vento frio, argumentos bons demais para uma pessoa bêbada, mas sempre foi assim. Uma lágrima bem disfarçada. Carta entregue. Um sorriso que sempre me derruba, um abraço e uma ordem. Manda quem pode.. Quando atravessei a Sinimbu de novo, ali eu soube que a noite estava acabada. Voltei para o revival, prá cima do balcão. Com a fé nas mãos eu sorri. Sorri porque a maré mudou. Porque sentado naquele mesmo balcão eu já havia duvidado. E ali estava eu acreditando de novo. E por mais que digam que é impossível saber o que eu fico pensando por trás de um sorriso quando eu seguro a fé nas mãos e fico passando bolinha por bolinha, eu sei que existe uma pessoa que sabe.

_____A conversa terminou com uma promessa. E por mais que eu quisesse acreditar, eu sabia que não seria cumprida. Como foi dito depois "parece que as palavras agora são apenas pretextos". Msn antes da festa, só para ser maltratado mais um pouco. Antes de reclamar eu ainda esbocei um "eu mereço". E fui pro revival pronto para o crime.

_____?Litro's.? Sim, 2, por favor, porque eu sei que com 2 eu caio. Eu e o Nick sentados em cima do balcão com o litro no meio. Perigoso, de fato. Lembro de tudo, até o momento em que jogaram num carro e fui para o komilão. De lá eu só consigo lembrar do Plentz, do X bacon com Chedar e de uma piada que me tirou do limbo. Ele vai pro céu.. Certo que vai... E eu fico com a sensação que falei demais e/ou fiz merda. De qualquer jeito. acho que ninguém lembra direito do que se passou lá. É setembro, mas parecia junho.

_____E uma única palavra me dá o direito de declarar sentimentos que não são meus. "Inevitável." E não fui eu quem a disse.

_____No meio de tudo descobri porque faço minhas festas do jeito que faço, descobri que sou mais resistente do que eu imaginava. E comecei tudo cantando uma música e termino tudo cantando a mesma música: "nossas meninas estão longe daqui, não temos por quem chorar e nem prá onde ir."

_____Ah, antes que eu me esqueça: Você queria chuva, ela está caindo. Calma e gelada. Sem vento.


quinta-feira, 20 de setembro de 2007

Somos soldados

Cada um tem o Santo que briga por si

Esse é o meu:
Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz.
Onde houver ódio, que eu leve o amor;
Onde houver ofensa, que eu leve o perdão;
Onde houver discórdia, que eu leve a união;
Onde houver dúvida, que eu leve a fé;
Onde houver erro, que eu leve a verdade;
Onde houver desespero, que eu leve a esperança;
Onde houver tristeza, que eu leve a alegria;
Onde houver trevas, que eu leve a luz.
Ó Mestre, Fazei que eu procure mais
Consolar, que ser consolado;
compreender, que ser compreendido;
amar, que ser amado.
Pois, é dando que se recebe,
é perdoando que se é perdoado,
e é morrendo que se vive para a vida eterna.

O do compadre:
Chagas abertas, Sagrado Coração todo amor e bondade, o sangue do meu Senhor Jesus Cristo, no corpo meu se derrame hoje e sempre.
Eu andarei vestido e armado, com as armas de São Jorge. Para que meus inimigos tendo pés não me alcancem, tendo mãos não me peguem, tendo olhos não me exerguem e nem pensamentos eles possam ter para me fazerem mal.
Armas de fogo o meu corpo não o alcançarão, facas e lanças se quebrarão sem ao meu corpo chegar, cordas e correntes se arrebentarão sem o meu corpo amarrarem.
Jesus Cristome proteja e me defenda com o poder de sua Santa e Divina Graça, a Virgem Maria de Nazaré, me cubra com o seu Sagrado e divino manto, me protegendo em todas minhas dores e aflições, e Deus com a sua Divina Misericórdia e grande poder, seja meu defensor, contra as maldades de perseguições dos meus inimigos, e o glorioso São Jorge, em nome de Deus, em nome de Maria de Nazaré, e em nome da falange do Divino Espírito Santo, me estenda o seu escudo e as suas poderosas anulas, defendendo-me com a sua força e com a sua grandeza, do poder dos meus inimigos carnaise espirituais e de todas sua más influências, e que debaixo das patas de seu fiel ginete, meus inimigos fiquem humildes e submissos a vós, sem se atreverema ter um olhar sequer que me possa prejudicar.
Assim seja com o poder de Deus e de Jesus e da falange do Divino Espírito Santo.

Falando em compadre, trecho do livro:
"Quem é mesmo inteirado valente, no coração, esse também não pode deixar de ser bom.? Isso eu guardo, penso e repenso. Para mim, o indicado dito não é sempre completa verdade. Minha vida. Não podia ser. Mas eu pensando nisso, uma hora, outra hora. Perguntei ao compadre meu. Ele respondeu: Do que o valor dessas palavras tem dentro, não pode haver verdade maior. Repenso. A verdade referida serve para aumentar minha ânsia por tribulação."

De manhã, 3 conversas. Sobre a Bíblia, sobre mim, sobre olhos, sobre ironias, e sobre coisas importantes. Mas delas eu falo depois.

E, no meio da festa, a música:


Legião Urbana - Soldados

quarta-feira, 19 de setembro de 2007

Enquanto isso, a caminho da Terra do Nunca


Ao som de: Rush - Snakes and Arrows

_____Cada um tem um santo para brigar por si. Enquanto eu rezo para São Francisco e carrego um Tao no pescoço, compadre meu reza para São Jorge. Palavras bem diferentes. Pessoas bem diferentes. E por acaso a fé não seria a mesma.?? Pessoas iguais. Todas elas. As que torcem para o gato e as que torcem para o rato.

_____Volto para um lugar comum muito meu, mas acho necessário. Sempre que a ordem da mudança vem aparece alguma mulher e me leva pela mão. Tudo bem que as vezes aparece uma mulher que me motiva a base de pontapés ou arremessos no abismo, mas enfim, funcionou do mesmo jeito. E eu que andava repensando quase tudo na minha relação com a música, durante um ensaio, ouvi uma frase que fez todo sentido, dita na hora certa e no lugar certo: "Quando vocês não gostam da música que estão tocando, isso fica estampado na cara de vocês."

_____Penso no que vou tocar sexta, vou tocar com os caras mais afds do mundo. Acho que orgulho não é a palavra...lisonjeado, talvez.
25 horas...
Estou ansioso....
Mas não é medo, é uma percepção mais aguçada da realidade ao redor.
Muita gente rezando para o fim de semana.


_____E sirvam nossas façanhas de modelo a toda Terra.

segunda-feira, 17 de setembro de 2007

Dentro de uma Camisa do Grêmio Pt 4

Uma camisa que me dá sorte
Entendimento que me dá um sorriso
Amigos que me dão vontade de abraçar o mundo
Saudade que me dá uma pontinha de melancolia.

Tudo multiplicado...

Ramos no céu, raízes no inferno.
À nata o que é da nata. Nós somos o Nescau.

sexta-feira, 14 de setembro de 2007

Atravessando espelhos

Ao som de: Tool - Parabola

_____Vontade: palavra cheia de truques, precisão de viver. Divisão. Compadre meu volta da cidade do rio porque eu precisava dele. Mais uma escova e eu seria highlander. Mas não mereço. Careço de aprender tanto ainda. Mas é calor de verão. Sempre aconteceremos no verão, por mais que que sejamos inverno. E outono. Sorte ajuda muito, mas ela não é companhia faceira. Iodo em ferida aberta. Corte que não cicatriza. Hemorragia de alma. "... na fadiga do vento é que o veneno circula. E o remédio nem deve saber que acabou o descanso pra encontrar a cura"

_____As vezes tudo que eu queria é poder esquecer, mas eu lembro de tudo. Teve grandes ocasiões em que eu não podia proceder mal, ainda que quisesse. Porque.? Deus vem, guia a gente por um tempo, por um espaço. Perdemos o guia. Então tudo resta pior do que era antes. Esta vida é de cabeça prá baixo, ninguém consegue medir suas perdas e suas colheitas. Mas eu conto. Conto para mim, conto para o senhor. Ao quando bem não me entender, me espere. Estou contando ao senhor por que aqui carece um bom explicado. Pensar mal é fácil, porque esta vida é muito embrejada. A gente vive, eu acho, é mesmo para desiludir e desmisturar. A sem- vergonhice reina, tão leve e leve pertencidamente, que por primeiro não se crê no sincero sem maldade.

_____Ah, esse meu sertão. O equilíbrio tem um preço alto demais.

_____Reticências, descritas e embaladas. Entendidas.?? Pehaps pehaps pehaps.

_____Nem tequila, nem cerveja. Cachaça.

"We are choosing to be here right now. Hold on, stay inside."

quinta-feira, 13 de setembro de 2007

Idiotas mudos falam demais.

teve gente que já me chamou de anjo.... agora me chamam de diabinho....

esse sou eu....
jogador aposentado....
mas que nunca vai deixar de saber jogar...

Eu jogo quando tenho algo a ganhar, não ter nada a perder não é mais motivação faz tempo....
se eu ganhar o jogo, ganho uma pérola.??
se eu desistir do jogo, nós dois ganhamos.??
Se você desistir, nós dois ganhamos.??
O tempo vai passando....passando....

E a convivência com o compadre encheu meu texto de reticências....e ele diz que sou eu que coloco juízo nele....pelo menos a mudez das seis da tarde é engraçada....

Há uma pessoa que entende as reticências dele....
Deve haver uma que entenda as minhas....

Enquanto guias, as estrelas são muuito perigosas
Mas eu olho para cima e reconheço o brilho delas....

Tomando um capuccino eu pergunto: cerveja ou tequila??

quarta-feira, 12 de setembro de 2007

O espetáculo não pode parar

Ao som de : Justin Timberlake - What goes around

_____
Foi um final de semana forte, de fato. Duas consequências diretas e perturbadoras. Acabei me dividindo de novo e minha paz foi dar um passeio por causa disso. E veio uma sensação estranha de "eu sabia que isso ia acontecer" e "de novo isso.??". A parte boa é que tenho pensado e pensado e pensado. Isso de discutir homericamente consigo mesmo é coisa de geminiano ou todo mundo tem isso.??

_____Encontro pessoas que me dão uma importância muito maior do que eu realemnte tenho. Encontro pessoas que me tratam com um pouco caso desconcertante. Compadre meu que está certo: Dois idiotas (mudos) S/A. E fuçando na minha gaveta mágica, encontrei uma carta que nunca mandei. Acho que ela é a única coisa que eu escrevi e não mandei.

_____Talvez seja o momento de repensar o meu jeito que tocar e pensar música. Eu disse talvez.??? heheheh

_____Estou me sentindo um retardado escrevendo aqui. Volto para o caderno. Lá posso ser um retardado sem ninguém ficar sabendo.

quarta-feira, 5 de setembro de 2007

Se alguém não tiver pecados, pode me jogar pedras até ficar saciado.

Ao som de: 5ª de Bethoven

_____
Veja o senhor, compadre meu disse que havia os bichos na arca do Noé. Todos. Era negócio grande, prá instruir na salvação de todos. No bem geral. Mas lá havia também o pica-pau fazendo furos no casco da barcação. Não que haja maldade. Mas assim é. Abelhas fazem mel, cavalos relincham. Estranho seria se abelha fizesse um relógio suíço. Ou se cavalo soubesse falar. Tudo vai e tudo volta. Julgamento com moral demais sempre carece de justiça. Na pressa ou na vontade de fazer o que achamos certo, nasce a confusão e vendemos a nossa vontade como a mais justa. Causa decepção.? E pois, traição é o que não se espera. Ou o que se espera mas se duvida no meio tempo. De pessoas eu entendo, vivência confirmada. Confinada. Erro justifica erro.? Careço de negar, mas há as gentes que pensam assim. Quem anda entre os errados vai equivocar. É pena. O comitê do céu devia é pegar todos os certos e espalhar pelo mundo, para botar juizo nas cabeças. Enlouquecer tudo ia. Mas mundo é justo. Juntos os semelhantes. É mais fácil simplesmente isolar quem pensa diferente. O diferente causa transtorno.

_____Compadre meu as vezes me manda sair daqui. Gosto deveras dele. Bobagem minha achar que o sertão termina no horizonte. O sertão é do tamanho do mundo. Ou maior. Ele me conhece. Entender palavra é fácil. Meu silêncio que fala também. Mas compadre meu me entende até de cabeça baixa, procurando no chão a fuga do que não encaro de frente. Cabeça baixa não é medo, é jogada justa. É resposta prá quem não entende. Bonito é quem se entende no silêncio. Quem respeita e é respeitável. Não perfeito, carece de existir. Existe é homeme humano. Travessia.

domingo, 2 de setembro de 2007

Cabreiro

Ou: É assim que eu quero escrever

Ao som de: Cordel do Fogo Encantado - Cordel Estradeiro

_____Pergunta difícil é aquela que carece de invenção da resposta. Inventar não aquilo que não existe, mas consta que o pensamento da gente é cria selvagem, não gosta muito do cabresto das palavras. Mire veja, a resposta de hoje passa de lado na resposta de amanhã. Cada dia um motivo. Explico. Mudo o verbo para dar a luz à metáfora. Todo vivente tem fome, mas a fome não é motivo principal. Cada vez numa companhia: gula, necessidade, ansiedade. E se fosse sono, bobagem. Homem dorme mesmo é prá sonhar. No sonho todo mundo é forte. No sono a coragem cresce, porque o sono é a morte. Tudo que está parado está morto

_____Sou ser previsível, o senhor sabe. Mas não somos diferentes. Somos mesmo é iguais, mas a vista engana. A mesma palavra na boca de dois é desavença quase certa. Preciso mesmo é descobrir a resposta. As respostas, fico sincero. Tem de que, preciso razoar. Escrevo porque sou eu, esse assim. Procurando o que não perdi, mas essa não é razão. Dou o exemplo conforme for me lembrando.

_____O senhor vê. Escrevo por saudade, como quem escreve uma carta para um que já se foi. Por vontade de ser reconhecido, as vezes como sujeito forte, as vezes como um normal. Pessoa tem mania de comparar, de pensar em céu e inferno, em preto e branco, e desconsidera o que há no meio. Não conheço gente dos extremos. É média no meio, estudada e riscada em aula de matemática. Bom mesmo é o que se aprende na escola, o certo regido pelas regras, as contas que não podem mentir. O resto a gente aprende como dá, como deu. E a lição não vem organizada. Cada um tem que aprender como pode. E aí mora um bocado de injustiça, porque cada um aprende um determinado pedaço do livro. E a tirania impera, os pares olham para fora e não para dentro e por isso falam muito antes do que ainda não sabemos. E entortam de insignificância o que já foi lido e relido em tabuada. E olha que eu já quis conhecer alguém que sabia tudo. Daí conversa vai e conversa vem, figurei que já conhecia. Há o livre arbítrio, mas dessa parte do livro ainda não fiz entendimento.

_____O tempo passou e nada respondi. Mas me mostre texto escrito e lhe mostro motivo certo. E explico ainda a causa da letra. Porque a mão da gente sabe bem do que estamos escrevendo. Sentir sem mostrar deve ser pior do que não sentir. Mas acontece de sentimento tomar caminho errado, e a gente mostra o contrário do que sentia, por principiar. Acontece sim, não há o que não haja. Chimarrão é só água quente e erva na cuia. E aquece a alma. Mas o senhor esfria a água, ou troca a erva por outra, causa efeito algum.? E viver, me disse o Elevado, era só ser feliz. E foi. O resto, me contaram depois, é só decorrência. Mas pessoa é ser pequeno, carece de fé para acreditar.

_____Bonito é a mãe do passarinho ensinando o filhote a voar. Por certo que ela sente medo por ela e pelo menor, mas há de ser assim. Desde o sempre. E passarinho voa, tem de que. Cada um sabe do seu Cristo-Jesus decorrente, e por, certo, faz o melhor. Mas há quem rasteje e quem voe. E todo o meio rebuliço que virou mundo. Justo.

_____Sabe o senhor que me ensinaram a voar.?

sábado, 1 de setembro de 2007

Certo que esse blog só me causa problemas.


Al sonido de: Elis Regina - Canto de Ossanha


_____? Escribiendo en español? Si, por el mismo motivo que yo rezo el padre nuestro en español. Las personas no comprenden lo que leen acá. La mitad del problema soy yo. La otra mitad...bueno...

_____Yo siempre supe que las pedradas vendrían....pero no sabia de donde partirían. Al fin y al cabo, eso no cambia nada.

_____Hacer comparaciones siempre nos ilusiona. Si nos creemos mayores (o mejores) pecamos por vanidad o por orgullo. Y si nos creemos peores, nos estamos culpando por una cosa que no es, necesariamente, errada.

_____Vivir es muy peligroso.

_____Mais um circo pegando fogo... e por nada... reclamei que os EUs eram constantes nos comentários feitos nos respectivos blogs e não nos textos dos blogs. Seria paradoxal demais criar um blog e não falar de si mesmo. Mas como ninguém entendeu isso, o engano deve ter sido meu. Sempre tomando rasteiras das palavras. Por isso que eu pefiro a música. Ou o silêncio.

_____E agosto foi embora com uma neblina linda. Um sorriso cada vez maior.

sexta-feira, 31 de agosto de 2007

Esse é MEU mês de agosto.

_____Uma vez a cada ano, o Tiago encontra o Vento em um jardim. E falam-se durante muito tempo; e a cada vez o Tiago vai embora dizendo ao Vento: -"Meu amigo, temo que jamais venhamos a concordar".


Um chamado Vento

Vento era fabulista.?
Fabuloso.?? Fábula.??
Sertão místico disparando
No exílio estuprado da linguagem comum
Projetava no chão
A sombra de mais um
A terceira margem do rio
Inenarrável narrada

Um estranho chamado Vento
Para disfarçar, para forçar
O que não ousavam compreender
Tinha girassóis e violetas
Plantados no quarto.? No peito.?
Era um teatro
E todos os artistas
No mesmo papel
Uma ciranda perfeita
Era inferno e era céu

Vento era tudo.?
Tudo escondido, florido
Como flor é flor, mesmo não semeada.
Um mapa sem caminhos,
Deslizando para fora, falando
Guardava rios no bolso
Cada qual com sua cor de água
Sem misturar, sem conflitar.
E de cada gota sabia
Nome, curva, fim
E no destinado geral
Sua cisma era saber
Para contar sem desnudar
O que não deve ser desnudado

Mágico sem apetrechos
Civilmente mágico, apelador
Embaixador do reino
Que há por trás dos reinos
Dos poderes, das supostas fórmulas de abracadabra, sésamo.
Reino cercado
Não de muros, chaves, códigos
Mas do invisível.

E o Vento sorria
Quando lhe perguntavam
Que mistério é esse.?
E propunha desenhos
Declamava teorias
Figurava tudo menos a resposta
Havia outra questão perguntada.?
Havia necessária resposta a ser dada.?

Tinha parte com...(sei lá o nome)
Ou ele mesmo era
A parte da gente
A minha parte
Servindo de ponte
Entre o sub e o sobre
Que se entretiam
Que antes do princípio se entrelaçavam.
Para uma melhor guerra
Para uma festa maior.

E ficamos sem saber...

quinta-feira, 30 de agosto de 2007

Planejamento é tudo

ou: Equipe, essa é a real!

El Viento diz: vagão sábado.??
Jeff diz: acho q sim
Jeff diz: tem niver do Pes tb
Jeff diz: e da Fer Brambilla
El Viento diz: acho que vou estar solteiro sábado.... =((
a Emília tem que fazer os relatórios infinitos dela
vamos em todas festas.?? hehhehe
Jeff diz: hauhauhauhauahuah
Jeff diz: bora .. estou me prendendo em horarios
Jeff diz: só tenho a formatura me atrapalhando
El Viento diz: que ruim né.... vai ter que ir lna formatura tomar todas....
Jeff diz: hhehheheh
Jeff diz: não to bebendo, FDP!!!!
El Viento diz: tá.. vamos começar a organizar desde agora...
El Viento diz: tu fica com as mulheres e eu fico com a bebida...
Jeff diz: boa
El Viento diz: e que a quantidade não seja pouca....
Jeff diz: nuuuuuuuuuuuuuunca
El Viento diz: sem amadorismo....
Jeff diz: se bem q não q não to querendo muitas ultimamente... just one babe!!
El Viento: eu também.
Jeff: mulher ou bebida...??
El Viento: as duas coisas..heheheh

quarta-feira, 29 de agosto de 2007

A palavra vale ouro, mas o silêncio não tem preço

Ao som de: Bon Jovi - Keep the Faith

_____Eu sinto saudade.

_____Houve uma época em que quem escrevia bem tinha blog. E quem tinha alguma coisa a acrescentar postava algum comentário. Eu era um mero postador de comentários na época, mas desempenhava bem minha função. E a coisa funcionava bem. Os comentários tinham qualidade proporcional ao texto. Não os meus, mas todos.

_____Hoje não. As pessoas fazem comentários não para acrescentar algo, e sim para falar de si mesmas. É incrível, basta escrever alguma coisa um pouco ambígua sem citar nomes que logo aparecem, umas 10 pessoas achando que o que foi escrito é prá elas. O "eu" é uma constante. E é tanta vontade de falar de si que todo mundo tem blog. E todo mundo tem a sua verdade, que é sempre melhor do que a dos outros. E várias vezes eu vi pessoas que me julgaram pelo que leram aqui. Um lance do tipo "eu te conheço, eu leio o teu blog". As vezes isso incomoda muito. Gente que todo dia faz um tour pelos blogs para poder bisbilhotar a vida alheia. Fora isso a minha lista de visitantes recentes do orkut é uma piada, mas isso é outra história. Não sei se foram as pessoas que mudaram ou se foram os blogs. Mas enfim, quem sou eu para julgar alguma coisa. Fico um pouco triste. As vezes meio decepcionado fico com tanta gente que tem conteúdo de sobra para escrever alguma coisa construtiva e só escrevem merda. Mas é como nas conversas de mesa de bar: há quem acrescente, há quem subtraia, hão os indiferentes, háháhá o grupinho das gargalhadas e tem os incapazes de ver o porque de tantas risadas. Até os mortos querem dar sua opinião. Na verdade, "não há o que não haja."

_____Antes de responder alguma coisa, releia o título desse texto. Se for prá somar tá dentro, se não, sua visita em silêncio é sempre apreciada.

_____"Viver é muito perigoso...Querer o bem com demais força, de incerto jeito, pode já estar sendo se querendo o mal, por principiar. Esses homens! Todos puxavam o mundo para si, para o concertar consertado. Mas cada um só vê e entende as coisas dum seu modo." GS:V

sábado, 25 de agosto de 2007

O diabo na rua, no meio do redemoinho.

Ao som de: We are building a religion... we are building it bigger..

Situação repetida
E eu buscando a palavra
De novo e ainda
Não guardo muita esperança
As palavras não definem muito do que há na vida.
E eu ficaria satisfeito com o silêncio

Mas

Encontrei um amor que conhecia apenas de contos de fadas
E das minhas memórias falsas
Meus pedaços de vidro que chamei de diamantes
Não que tenha sido mentira.
Mas entre ostras e borboletas, eu perdia a mim mesmo.

de volta para o presente

Sinto orgulho.
Orgulho de quem está ao meu lado.
Orgulho por transmitir a paz que sinto.
Do Virgílio e da minha tendinite
E de uns poucos que estão mais próximos.
Que me enxergam.

Não preciso de uma cama num quarto que tem uma janela.
E uma rede.

Já que encontrei um sentido novo para a idéia de namorar
É possível que eu encontre algum sentido nas palavras.


Ah, e eu que dizia "nao se apaixone" agora me pego dizendo "confia em mim".
E sem hesitar.
Nem tudo muda para continuar igual.
Eu mesmo acabei mudando para evoluir.
E porque estava insuportável para mim e para os outros.
Porque a companhia foi certeira.
E, principalmente, porque é mês de agosto.

Eu sou é eu mesmo.
Divêrjo de todo o mundo...
Eu quase que nada sei.
Mas desconfio de muita coisa.

segunda-feira, 20 de agosto de 2007

Eu disse que tudo ia dar certo.

Coloco algumas fotos da festa do Alemão e um texto bem velho que volta a fazer sentido de tempos em tempos

Jardineiros em ação.



Quase slipknot.


Os maiores corações do mundo


_____Somos uma banda. Seria smples se fosse só isso. Mas somos tb irmãos. Para o bem e para o mal. Nós discutimos por besteiras com a mesma intensidade com a qual nos amamos em cima de um palco. Como uma banda dividimos um trabalho. O melhor trabalho do mundo. Fazer o que se gosta, se divertir fazendo isso e trabalhar numa festa; o que mais uma turma de amigos de 20 e poucos anos poderia querer. É claro que, como irmãos, dividimos tudo, implicâncias inconscientes, expectativas frustradas, interesses comuns, interesses incomuns. Nunca saberemos se somos irmãos por que tocamos na mesma banda ou se tocamos na mesma banda por que somos irmãos. De qualquer forma, sempre é um prazer e uma honra tocar com seres humanos fantásticos como meus irmãos. Juntos nós usamos a música para falar ao coração das pessoas. Cada música com um jeito diferente de tocar as pessoas e de ser tocada por nós. Mas no fundo, náo somos tão prepotentes. Sabemos que é a música que nos toca, não nós que a tocamos. E nós ainda vamos reclamar e discutir bastante antes do fim, com razão ou não. Mas ver o brilho nos olhos da platéia que pula ensandecida sendo tocada pelo nosso som justifica tudo. E a gente só se olha e ri, porque a gente sabe que na batida da bateria bate tb nosso coração. No ritmo do baixo e na energia da guitarra tudo finalmente faz sentido. Irmãos ou uma banda?? Agora tanto faz; o show começou. Pule com a gente e grite até ficar sem voz. Olhe para os nossos olhos e vejam o mesmo brilho que nós vemos em vc. É isso que vai libertar vc. É isso que fará a diferença.

domingo, 19 de agosto de 2007

Eu vou comprar uma espanhola pra me defender

Ao som de: Mutantes - Ela é minha menina

Escondido atrás do cabelo, quase ninguém me viu.
Quem procurou achou um sorriso
Um sorriso que vinha do coração
E a dona do sorriso tinha um sorriso maior ainda.

Parei de tocar pelo melhor motivo do mundo.
E eu teria ficado uma hora abaixado no canto daquele palco.

Todo mundo em cima do palco.
Todo mundo que precisava estar.
Batendo forte na bateria
Gritando alto para sermos ouvidos.
E enfim, um único espírito.
A catarse que eu tanto falei.


Num determinado momento meu mundo parou.
Eu me dei conta de que a felicidade estava no meu colo.

E então eu chorei. E ainda não tenho palavras para agradecer .

sexta-feira, 17 de agosto de 2007

Felicidade suficiente para irritar os outros.

Ao som de: nada, estou de saco cheio de toda e qualquer música

_____Existe uma rua na qual eu falo com anjos. E sempre são conversas boas. Uma pessoa, que eu tirei da minha vida, acabou me ajudando muito ao sair. Ouvi impropérios que não merecia. E desde então eu tenho feito muita coisa para que não me xinguem mais. Coisas simples, como lavar a louça usar o carro do Peca para trasnportar meu cubo.pro ensaio. Coisas mais complicadas, como cuidar muito com o que eu falo e pensar sobre para onde estou indo. E saber que faz mais de dez anos que me falaram sobre a importância de pensar antes de agir.

_____Acabo por colocar no mesmo balaio isso de pensar antes de agir e a idéia do planejamento na publicidade. Na teoria os dois são ótimos, ajudam e não têm contra indicação nenhuma. Mas na prática há os instintos, que na maioria das vezes são mais rápidos que os pensamentos. E nunca dá tempo de planejar, por que o cliente sempre chega quando o prazo já está no limite.

_____E me decepciono com a banda. Mas o errado sou eu, em me preocupar demais. É impossível que eu toque com 4 pessoas que pensam de um jeito diferente do meu e que o meu jeito esteja certo e o deles errado. Estou cansado. E sem vontade nenhuma de ir para mais um ensaio inútil. Do show ainda não sei. A festa vai ser divertida, como sempre foi. Eu deveria estar dizendo que tudo vai dar certo. Subirei no palco com um cubo colorido daqueles de montar. Eu vou tocar Uni Duni Tê e o cara aquele vai cantar Rapunzel. E ele vai estar longe dessa mediocridade que tanto nos incomoda. Ares novos: quem não precisa.?? Eu mantenho a esperança. Existe uma rua na qual eu falo com os anjos, e quando eu não digo que tudo vai dar certo, existe quem diga isso prá mim e por mim.

_____A Vida tem idéias ótimas. Eu poderia fazer um "jesus me chicoteia" sobre a mitologia grega. Gosto muito da mitologia, quem sabe faço isso. Até editora nós já temos. O nome até poderia ser "zeus me chicoteia".

_____Sim, sou extremamente eficiente em fazer o circo pegar fogo. E falar mal de mim se tornou mais corriqueiro e mais irrelevante. Whatever. E encontrei um encanador que relacionou Che Guevara com Simón Bolívar. Nem tudo está perdido.

_____Não que eu mereça, já que estou me sentindo um velho chato, mas bem que alguém poderia me sequestrar no domingo.

Encontro beleza nas dissonâncias
Procuro melodias no silêncio
Talvez eu encontre alguma finalidade nisso tudo.

domingo, 12 de agosto de 2007

Tri bom

Ao som de: Legião Urbana - Soldados

_____Retiradas nessa ordem, com a mão esquerda, e colocadas em cima de um pano preto. Pajem de copas, 5 de paus, a Lua, o Eremita, 8 de espadas, 8 de paus, O Mago, Rainha de Copas, Cavaleiro de Paus e O Julgamento.

Sim, agora faz todo sentido.

sexta-feira, 10 de agosto de 2007

Contrato assinado.

Ao som de: Tool - Reflection

_____Li o que o Taloco postou aqui e foi inevitável colocar a discografia do Tool pra tocar. Antes mesmo do Winamp abrir eu me lembrei de um trecho de uma música do Tool. É uma frase que eu repeti para mim mesmo muitas vezes, nos momentos que eu considerava decisivos. Ela foi meu protetor de tela por um bom tempo no ano passado. Inevitável também começar a rir. Não há o que ser decidido, a decisão foi tomada a muito tempo atrás. A mudança agora é em outro patamar. A diferença é que agora eu sei porque decidi e acredito mais do que nunca que decidi o certo. Tive um dia de surdez, mas ele só serviu para me deixar mais feliz no dia seguinte.

_____Uma conversa no sábado, uma metáfora muito boa durante o último cigarro da noite. Quatro dias depois eu finalmente encontro uma justificativa plausível. O sacrifício de uma peça tem uma única finalidade: aumentar a eficácia das outras peças. E agora faço o caminho inverso e vou das pessoas para as peças. Pra mim o peão livre tem alma e, de modo semelhante ao homem, possue aspirações que dormem dentro dele, de forma desconhecida, e temores cuja existência somente suspeita. Tudo para chegar ao fim e encontrar a redenção.

_____E rindo e chorando ao mesmo tempo eu pego o Virgílio no colo e toco. O amplificador está no conserto e na minha cabeça eu ouço os sons que toco. As vezes fecho os olhos e vejo uma partitura, clara e simples. E o coração voltou do conserto, não é mais como era, mas ainda está em condições de uso. E bem na hora. Estou precisando dele.

Ah, a frase:

Mention this to me. Mention something, mention anything.
Watch the weather change.