segunda-feira, 22 de janeiro de 2007

Não...hoje não

Ao som de: Sérgio Britto - Raquel

Eu tentei e tentei, mas não pude fazer nada. Falei tanto, abri meu coração, mas mais um dia se passou. Vai ser sempre o amanhã enquanto não mudarem ele. Esperei, esperei, e esperei. Olhei pela janela e percebi que nada ia mudar hoje. O mundo continuava igual. Fui à missa, com um skate embaixo do braço. Quando tirei o chapéu para entrar na igreja, olhei para a pietá e para o túmulo do Padre Giordanni, me senti em casa. Não deitei no chão dessa vez, mas eu tinha outros planos. Depois de muito tempo, depois de ter pensado comigo mesmo que não sabia mais andar de skate, desci o morro da 18 de novo. Quando abri os braços e baixei a cabeça, parecia que eu estava voando. Senti-me vivo, senti-me digno. Não me senti feliz, por que falta alguma coisa. ¿¿Ta na cara, né.??

Não entendo como um relacionamento sadio pode limitar as pessoas. Eu entendo um namoro como um incentivo e não como um freio. ¿¿Será que é tão utópico assim acreditas que as coisas podem dar certo se os dois se esforçarem pra isso.??

Sem vídeo game eu fico tocando. Fico estudando um música impossível. ¿¿Será que um dia vou conseguir tocar Scarified em 137 bpm.?? E em F#.?? Eu devia acreditar nisso, mas às vezes minha fé vai dar uma volta. Tudo que posso fazer é continuar trabalhando e seguir em frente.

Eu deixei o celular em casa, sabia que ninguém ia me ligar. E ninguém ligou enquanto eu estava fora.


2 comentários:

  1. Gato de Chechire23/1/07 00:31

    Se eu soubesse q teu celular não tava contigo eu teria te ligado.

    Baisers

    ResponderExcluir