domingo, 8 de julho de 2007

Gonna keep on tryin' till I reach the highest ground.

Ao som de Korn: Freak on a Leash

_____Correria o dia inteiro. Tirar as músicas direito. Controlar o medo. Ta bom, é possível.. não por orgulho ou vaidade, mas simplesmente porque eu consigo. Simplesmente porque o olhar do Seco e do Carlito me convenceram que ia ser do caralho.

_____Sobe no palco, olha ao redor. A falta de uma só pessoa doeu, mas o Virgílio precisava de mim. E eu dele. Cada música era um número a menos na minha contagem regressiva. Around the world foi um pisar e despisar no amarelinho. Under the Bridge foi lindo. Eu gritei aquele final com a alma. Uma palheta na mão, pela primeira vez, em parallel universe. E chama o Taloco para tocar. E chegou a hora. Minha mão tremeu. E começa a música, de um jeito mais rápido do que o necessário, mas ainda assim tocável. E finalmente eu toquei Higher Ground, a música que eu sonhei desde que comecei a tocar baixo. No final eu dissse: eu sou foda, mas sei bem que não sou melhor só porque toquei. Conseqüência do que eu estudei. Consequência de todo mundo que acreditou em mim quando disse que tudo ia dar certo.

_____Eu detesto gente sem noção. Gente que acha que um não é motivo para fazer póóóó. Gente que quer chamar a atenção, cantando um refrão diferente em Californication. Gente que acha que só porque perguntei o nome eu tenho obrigação de querer ficar. Gente que acha que só porque entrei no mesmo quarto que a pessoa eu quero alguma coisa. Na verdade eu queria uma coisa: ouvir Korn. Odeio gente que me julga.

_____Show dos guris, queria muito ter tocado Crazy Mary com o Caldo e com o Taloco. O Gel tocou Black. Na parte do “I know someday you’ll have a beatiful life, I know you will be the sun in somebody else sky” eu não perguntei por que. Sei bem porque. Gritei "This is not for you", e no final, afirmei como que pedindo desculpas/permissão pro resto “I’m still alive”.

_____Passagem relâmpago na casa do Rafa bem na finaleira. Uma conversa; um elogio de quem eu acho muito mais elogiável que eu. Uma cuba numa garrafa cortada e uma saída bem de canto. Fiquem aí, vocês e as mesquinharias a que se propõem. Salvam-se poucos, não por terem o coração forte, mas por terem o coração sincero.

_____E já que fiz chover, é justo que eu vá tomar um banho de chuva. Sozinho e completo, exatamente como eu sabia que ia estar quando amanhecesse. "Bora time"

6 comentários:

  1. Andressa..8/7/07 17:20

    ... e o cd do Korn rolou inteiro...achei ele

    e, mais do que tudo, vc tava lá pra ligar aquela nave... sem cofrinho.

    resta saber quem são os de coração fraco...
    de um jeito ou de outro...

    eu devia parar de usar reticências


    beijo

    ResponderExcluir
  2. Correção:

    "I know someday you’ll have a beatiful life, I know you will be A STAR in somebody else sky..."

    De resto, é resto.

    Viu como eu te leio? Bjs

    ResponderExcluir
  3. eu sempre cantei "be the sun"... prá mim soa mais real.

    E tem uma versão ao vivo (não me lembro qual, mas o Taloco deve saber) que o Eddie Vedder canta "be the sun".

    Eu sei que tu me lê , tu precisa de argumentos prá descobrir o que tem dentro do cálice doce. heheheh

    Beijos...

    ResponderExcluir
  4. ¬¬

    E que cor supões que eu coloque de fundo, que n mude o aspecto sombrio??Nem que DÊ A IDÉIA DE OBRIGAÇÃO??

    :p

    ResponderExcluir
  5. Huahuahuahua!! Lembrei AGORA do cálice doce.... Vou fazer uma pesquisa de campo e entre 2 e 5 dias úteis, terei uma resposta.

    E "a star" é mais legal q "the sun", com certeza! By far...

    ResponderExcluir
  6. quantos "sóis" há no céu.??
    e quantas estrelas.??

    ResponderExcluir